Olá,

Visitante

Conjunto de estratégias para aumento de coberturas vacinais num município do nordeste brasileiro: Cidade Mãe de Sergipe

São Cristóvão é a quarta cidade fundada no Brasil e a primeira capital de Sergipe. Possui conjunto urbano tombado pelo IPHAN e, desde 2010, a Praça São Francisco é reconhecida pela UNESCO como Patrimônio Histórico da Humanidade. O município possui mais de 95 mil habitantes e área territorial de 445 km², com dois núcleos urbanos e uma vasta extensão de zona rural (3/4). Em relação à Atenção Primária à Saúde, São Cristóvão dispõe de 20 Unidades Básicas de Saúde (UBS) e 1 híbrida (Complexo Penitenciário) 100% informatizadas, com um total de 25 equipes de Saúde da Família (eSF) e 2 de Atenção Primária Prisional (eAPP). A estrutura municipal para ações de imunização inclui 10 salas de vacina e 10 pontos de apoio (vacinação volante), além de uma Rede de Frio devidamente equipada para armazenamento, manutenção da qualidade e distribuição dos imunobiológicos. Destaca-se que a Pesquisa ImunizaSUS foi uma importante ferramenta para monitoramento e avaliação das coberturas vacinais e priorização de desafios, tais como desinformação/hesitação em relação às vacinas, acesso aos serviços de saúde, alcance das metas do Previne Brasil, monitoramento de doenças imunopreveníveis e monitoramento e avaliação dos resultados vacinais de cada eSF e eAPP.
Nesse contexto, utilizou-se as seguintes estratégias para superação dos desafios elencados:
a) desinformação/hesitação em relação às vacinas: ampla divulgação das ações de imunização e de sua importância nas redes sociais e Portal da Prefeitura, carros de som nas zonas rural e urbana, educação em saúde nas UBS e visitas domiciliares pelos Agentes Comunitários de Saúde (ACS);
b) acesso aos serviços de saúde: vacinação itinerante pelos bairros com o “Carro da Vacina”, vacinação em Drive-Thru, instalação de estandes de vacinação em instituições de ensino e religiosas, ampliação de dias e horários nas UBS, disponibilização demotorista/transporte das UBS às famílias com residências mais distantes, vacinação domiciliar de pessoas acamadas e/ou institucionalizadas e/ou com mobilidade reduzida e/ou idade ≥ 80 anos e vacinação in loco nas comunidades ribeirinhas;
c) alcance da meta do indicador V do Previne Brasil: busca ativa das crianças menores de 1 ano na área de abrangência de cada eSF, com uso de listagens nominais do eSUS-APS (PEC) e, sobretudo, do módulo Apoio ao Cuidado no SISAB, que por sua vez disponibiliza a listagem nominal das crianças que compõem o denominador para cada eSF no quadrimestre de avaliação;
d) monitoramento de doenças imunopreveníveis: articulação das coordenações de imunização e de vigilância epidemiológica, com qualificação das notificações e treinamentos dos profissionais de saúde de toda Rede de Atenção à Saúde (RAS);
e) monitoramento e avaliação dos resultados vacinais de cada eSF e eAPP: elaboração de rankings semanais das coberturas vacinais por Unidade/Equipe a partir de dados do eSUS-APS (PEC) e fortalecimento das ações do Programa Saúde na Escola e do acompanhamento das condicionalidades de saúde do Bolsa Família. Frente ao exposto, com as medidas adotadas, o município de São Cristóvão obteve melhorias significativas nas coberturas vacinais de rotina e contra à COVID-19, cujos resultados evidenciam a importância do trabalho coletivo entre gestão, assistência e comunidade.

Destaca-se que a Pesquisa ImunizaSUS foi uma importante ferramenta para monitoramento e avaliação das coberturas vacinais e priorização de desafios, tais como desinformação/hesitação em relação às vacinas, acesso aos serviços de saúde, alcance das metas do Previne Brasil, monitoramento de doenças imunopreveníveis e monitoramento e avaliação dos resultados vacinais de cada eSF e eAPP.

Nesse contexto, utilizou-se as seguintes estratégias para superação dos desafios elencados:
a) desinformação/hesitação em relação às vacinas: ampla divulgação das ações de imunização e de sua importância nas redes sociais e Portal da Prefeitura, carros de som nas zonas rural e urbana, educação em saúde nas UBS e visitas domiciliares pelos Agentes Comunitários de Saúde (ACS);
b) acesso aos serviços de saúde: vacinação itinerante pelos bairros com o “Carro da Vacina”, vacinação em Drive-Thru, instalação de estandes de vacinação em instituições de ensino e religiosas, ampliação de dias e horários nas UBS, disponibilização de motorista/transporte das UBS às famílias com residências mais distantes, vacinação domiciliar de pessoas acamadas e/ou institucionalizadas e/ou com mobilidade reduzida e/ou idade ≥ 80 anos e vacinação in loco nas comunidades ribeirinhas;
c) alcance da meta do indicador V do Previne Brasil: busca ativa das crianças menores de 1 ano na área de abrangência de cada eSF, com uso de listagens nominais do eSUS-APS (PEC) e, sobretudo, do módulo Apoio ao Cuidado no SISAB, que por sua vez disponibiliza a listagem nominal das crianças que compõem o denominador para cada eSF no quadrimestre de avaliação;
d) monitoramento de doenças imunopreveníveis: articulação das coordenações de imunização e de vigilância epidemiológica, com qualificação das notificações e treinamentos dos profissionais de saúde de toda Rede de Atenção à Saúde (RAS);
e) monitoramento e avaliação dos resultados vacinais de cada eSF e eAPP: elaboração de rankings semanais das coberturas vacinais por Unidade/Equipe a partir de dados do eSUS-APS (PEC) e fortalecimento das ações do Programa Saúde na Escola e do acompanhamento das condicionalidades de saúde do Bolsa Família.

Frente ao exposto, com as medidas adotadas, o município de São Cristóvão obteve melhorias significativas nas coberturas vacinais de rotina e contra à COVID-19, cujos resultados evidenciam a importância do trabalho coletivo entre gestão, assistência e comunidade.

Principal

Ana Therezinha de Jesus Leite Marques

Coautores

Jamille Rodrigues Costa do Nascimento, Vanessa Meneses Costa, Jéssica Oliveira da Cunha, Mayra de Oliveira Mendonça, Emilly Regina Martins Freire Nardelli, Fernanda Rodrigues de Santana Goes José Marcos de Jesus Santos

A prática foi aplicada em

São Cristóvão

Sergipe

Nordeste

Instituição

Endereço

Uma organização do tipo

Instituição Privada

Foi cadastrada por

Conta vinculada

A prática foi cadastrada em

23 dez 2023

e atualizada em

28 fev 2024

Condição da prática

Concluída

Situação da Prática

Arquivos

Palavras-chave

Você pode se interessar também

Práticas
Implantação de laserterapia na rede de atenção à saúde de Pilar (PB): relato de experiência
Paraíba
Práticas
Atenção e cuidado ao paciente portador de feridas no SUS em Pilar (PB)
Paraíba
Práticas
Oferta e Inserção do DIU pelo Enfermeiro na Atenção Primária a Saúde do Município de Assunção
Paraíba
Práticas
A prática da natação para crianças e adolescentes com deficiência em município do sertão paraibano
Paraíba
Práticas
Potencializando ações e atendimentos itinerantes nos bairros para melhoria e alcance de metas
Paraíba
Práticas
Implantação do cuidado farmacêutico na atenção básica, integrando farmácia a rede de atenção a saúde
Paraíba
Práticas
A eficácia do instrumento de classificação de risco gestacional na atenção primaria à saúde.
Paraíba