Olá,

Visitante

Coberturas Vacinas X Processo de Trabalho na Aps: Estratégias que ImpactAM na Imunização de Crianças de 0 a 5 Anos

Categoria não especificada

Alcançar as metas relacionadas às coberturas vacinais no âmbito do nosso município nos desafia e ao mesmo tempo nos coloca num lugar de responsabilidade pela garantia do acesso a saúde, aos imunos de uma forma geral, em tempo oportuno e numa perspectiva de cuidado continuado e programado. Para tanto a Estratégia de Saúde da Família em nosso município, tem cada vez mais se efetivado ordenadora do cuidado dentro da RAS, o que engloba diversas ações e dentro delas a modificação no processo de trabalho da equipe da ESF, a gestão no âmbito municipal e a organização da RAS com vários objetivos e dentro deles a garantia da imunização de forma segura e em tempo oportuno. Considerando que nosso município possui uma extensão territorial muito grande e a zona rural concentra uma população significativa da população, além de contar com municípios vizinhos cuja distância se torna, para algumas localidades rurais, mais próximas do que da sede do município, fora preciso encarar essa realidade e implementar ações que impactaram diretamente no processo de trabalho da equipe da APS. O município de Ingazeira sempre esteve num patamar diferenciado quando comparado com outros municípios, seja da sua regional de saúde (X Geres) ou mesmo de outras localidades do Estado de Pernambuco e do país, sempre alcançado as metas estabelecidas pelo Ministério da Saúde. O desafio se apresentava em três frentes: manter os índices de cobertura vacinas, alcançar a totalidade de nossas crianças de 0 a 5 anos em tempo oportuno e resgatar as crianças das localidades rurais que em decorrência da distância de sua residência até a Sede do município se vacinam em outros municípios ou mesmo não se vacinam, ou quando se vacinam é fora do prazo correto ocasionando atrasos no esquema vacinal colocando a saúde dos menores em risco. Para alcançar os objetivos citados acima foi imprescindível uma mudança no processo de trabalho da ESF a implantação de ações de planejamento, avaliação e monitoramento sistemático envolvendo a equipe da ESF a coordenação do Programa Nacional de Imunização – PNI no âmbito municipal e a gestão da saúde. O trabalho integrado, as ações programadas, a identificação dos usuários, as práticas de busca ativa, o apoio da gestão, o monitoramento e avaliação das ações em curso possibilitaram que nossas crianças fossem imunizadas oportunamente de forma segura, nos fez alcançar nossas metas, atender ao que estabelece o MS, resgatar nossas crianças que se vacinavam em outros municípios e nos faz destaque em nossa Regional de Saúde. O êxito das ações implantadas e do trabalho em equipe se apresenta nas coberturas vacinas, no alcance das metas das múltiplas campanhas de vacinação e por fim nos indicadores do Previne Brasil, no tocante ao indicador de vacina.

Os principais desafios que se apresentam estão relacionados à manutenção dos índices de cobertura que estão nos patamares recomendados pelo Ministério da Saúde, identificar precocemente as crianças de áreas rurais que estão com vacinas atrasadas, as que se vacinam em outros municípios (municípios vizinhos) que ficam mais próximos do que a Sede do município e que por isso não são acompanhadas pelas equipes da ESF.

Considerando os problemas e desafios apresentados lançamos mãos de algumas estratégias para alcanças os objetivos. A primeira estratégia adotada foi implantar na rotina/processo de trabalho das equipes da ESF ações rotineiras e sistemáticas de planejamento, monitoramento e avaliação. Identificar as crianças por faixa etária, localidade, agente comunitário de saúde, montar cronograma de ações de busca ativa. Nas hipótese em que a busca ativa não resultava na vinda da criança para imunização era colocado em prática a estratégia de vacinar em domicilio o que para tanto foi essencial a sensibilidade da gestão na organização e disponibilização de transporte para a equipe ir até o domicílio realizar a vacinação. Outra estratégia foi a identificação do prazo para vacina das crianças em localidade rurais mais distantes da Sede e na divisa com municípios vizinhos. Conhecendo a data que a criança deveria ser vacinada as equipes se antecipavam e já iam captar em domicilio para realizar a vacinação. Outro fator importante e adotado apensas em casos extremos de negligencia dos pais foi a parceria firmada com o Conselho Tutelar que nos ajudou frente aos casos de negligencia dos pais, pais que se recusavam a vacina em domicílio etc.

Os resultados alcançados a partir das estratégias adotadas só foram possíveis porque foram ações planejadas, com objetivos definidos e feitas e/ou executadas em equipe. A mudança no processo de trabalho das equipes da APS a sensibilidade e compromisso dos ACS o apoio da gestão municipal fez com que pudéssemos alcançar nosso objetivos, manter nossas coberturas vacinais em patamares excelentes e garantir o acesso a saúde que é nosso maior desafio.

Principal

Edilene Beserra da Silva Diniz

Coautores

Ritchele Vieira de Melo, Fabiana Martins Torres

A prática foi aplicada em

Região

Instituição

Endereço

Uma organização do tipo

Instituição Privada

Foi cadastrada por

Conta vinculada

ideiasus@gmail.com

A prática foi cadastrada em

23 dez 2023

e atualizada em

23 dez 2023

Condição da prática

Concluída

Situação da Prática

Arquivos

Palavras-chave

Você pode se interessar também

Práticas
REGULAÇÃO EM URGÊNCIA CARDIOVASCULAR FRENTE A REDUÇÃO DA TAXA DE MORTALIDADE EM CAJAZEIRAS – PB
Paraíba
Práticas
ADESÃO DAS GESTANTES AO PRÉ-NATAL ODONTOLÓGICO: UMA PROPOSTA DE INTERVENÇÃO NA ATENÇÃO PRIMÁRIA À SAÚDE
Paraíba
Práticas
A PRÁTICA DE PRIMEIROS SOCORROS NO CONTEXTO DE UM CURSO TÉCNICO PARA AGENTES COMUNITÁRIOS DE SAÚDE
Paraíba
Práticas
Vacinação nos espaços de formação: experiência no 2º Congresso Nordestino de Pediatria
Paraíba
Práticas
A (in) visibilidade de quem está em situação de rua: caminhos possíveis para cuidado em saúde
Paraíba
Práticas
Título: Autismo – uma causa municipal.
Paraíba
Práticas
Do ambulatório LGBTQIAPNB+ ao Café com Diversidade: garantindo acesso e fortalecimento de vínculos
Paraíba
Práticas
Atuação intersetorial nos casos suspeitos de TEA na primeira infância, um relato de experiência.
Paraíba
Práticas
Programa Bolsa Família: processo formativo para profissionais da atenção primária
Paraíba