Olá,

Visitante

Caps: Um Espaço de Terapia e Meio Ambiente

INTRODUÇÃO:A formação da políticapública do SUS é baseada na perspectiva de construção cultural e situação populacional de cada território brasileiro. E é com base em tais características que a promoção em saúde dentro dos municípios se dá através de uma equipe que deve estar apta a lidar com o princípio da equidade, qualidade de vida, e bem-estar. Esses conceitos são pertinentes, por se tratar de um vasto e amplo campo social de desigualdade econômica e má gestão de recursos públicos. Entretanto a sensibilidade profissional em detrimento da valorização do indivíduo que procura o serviço de saúde pública, abarca um novo entendimento e perspectiva de responsabilidade social. Por sua vez, esse tipo de atribuição vem conduzindo um cenário brasileiro onde o prazer pela profissão (no que diz respeito ao técnico na saúde) e satisfação diária, precisa estar em primeiro plano na obtenção de um trabalho proveitoso nas respectivas atividades.Nesse sentido, o desempenho do CAPS- Centro de Atenção Psicossocial ,na cidade de Santa Bárbara /Bahia, ocupava um espaço sensível e pouco compreendido diante da sociedade e cultura local. Dentre alguns aspectos, por exemplo, emerge a falta de informação a respeito do serviço prestado. Nessa perspectiva, uma nova forma de acolhimento, atendimento e prestação de serviço ao usuário de saúde mental foi implementada. O projeto CAPS: um espaço de terapia e meio ambiente (que envolve baixo custo para o município), proporciona considerável evolução dos usuários com diagnósticos de transtorno mental, aliado a baixo índice de rejeição ao tratamento, além de equidade nos atendimentos e preocupação com o meio-ambiente.

FINALIDADE DA EXPERIÊNCIA:O município de Santa Bárbara, apresenta um número considerável de usuários com diagnóstico de transtorno mental, tendo como equipamento para atenção a esse público, o CAPS, que conta com equipe mínima preconizada pelo ministério da saúde para atuar no serviço. O município de Santa Bárbara apresenta adesão tímida da população que apresenta algum tipo de transtorno mental, Isso se dá pelo número de pessoas que realizam tratamento em instituições fora do município, além de relatos de sujeitos que se auto medicam ou ficam isolados em esidências por receio de iniciar o tratamento necessário. Com esta preocupação (a de incluir sujeitos e promover o tratamento adequado) que o serviço de psicologia do CAPS, em parceria com membros da equipe e gestora implantou o projeto CAPS: UM ESPAÇO DE TERAPIA E MEIO AMBIENTE, cuja finalidade é a de acolher o público do CAPS de forma diferente e dinâmica. Isto se dá pela inserção de outros atores da sociedade, proporcionando aos usuários do CAPS evolução terapêutica em ambiente externo. Além disso promove novas perspectivas em território local acerca do SUS e propõe política publica que supre as necessidades de inserção dos usuários do CAPS em atividades sociais. INDICADORES/VARIÁVEIS/COLETA DE DADOS: Percebemos a importância de elaborar abordagem diferenciada ao observar que o número de pacientes em busca de medicamentos à farmácia do CAPS era crescente (esses pacientes não eram atendidos por nenhuma profissional da equipe do CAPS), além de relatos e registros da atenção básica de pacientes isolados em suas residências, além daqueles que fazem tratamento em outro município. Os dados foram coletados, observados e analisados, chegando-se ao entendimento da importância de elaborar estratégia de intervenção que promova assistência à saúde e estimule o cuidado. A ideia da criação dos grupos de convivência, deu origem ao projeto CAPS : UM ESPAÇO DE TERAPIA E MEIO AMBIENTE possibilitando à sociedade que o CAPS é espaço de integração e melhoria das condições sociais. A atividade realizada dá ao usuário a oportunidade de se sentir produtivo e capaz de interagir com outras pessoas do meio social, já que para a efetivação da proposta alguns atores de cenário externos são acionados. OBSERVAÇÕES/AVALIAÇÃO/MONITORAMENTO: A Instituição da avaliação e monitoramento, tende a se tornar estratégia permanente, inerente a gestão de saúde, possibilitando que os profissionais de saúde estejam em contato com o planejar, monitorar e avaliar as ações de saúde modo da população assistida. Isto oportuniza verificar os resultados e avaliar os impactos das ações direcionadas aos usuários do SUS. O Projeto CAPS: UM ESPAÇO DE TERAPIA E MEIO AMBIENTE” possibilita a equipe perceber o quanto a população evolui no atendimento, além de desmistificar a posição do CAPS no contexto social.Para avaliar e monitorar os impactos da execução do projeto, as equipes estarão se reunem para analisar os registros realizados e verificar a necessidade de permanência da intervenção. Essa avaliação é necessária porque o público do CAPS exige essa dinamicidade. Por este motivo a adesão dos pacientes é fundamental, uma vez que eles são os protagonistas da ação. Outro elemento importante como indicador avaliativo é o número de usuários/pacientes acolhidos pelo projeto, além de melhorias nos indicadores que apontam as condições de saúde da população atendida. Os relatos de pacientes acerca das condições de saúde referente ao diagnóstico especifico e a adesão à pratica de cuidado com a saúde, pode ser acompanhada pelas equipes de saúde, devendo ser registradas e catalogadas como documento informativo e importante para o histórico de usuários de serviços de saúde no município de Santa Bárbara.

CONCLUSÕES:Com as atividades CAPS UM ESPAÇO DE TERAPIA E MEIO AMBIENTE foi possível receber relatos de usuários que descreveram melhora em seu quadro patológico, por gostarem da terapia ao ar livre, propiciando sensação de liberdade e autonomia. Para a equipe o projeto tem função importante para o usuário do serviço, por fazer com que a comunidade local se aproxime do ambiente do CAPS, promovendo uma nova perspectiva e sensibilidade do cuidado em saúde mental. A execução da proposta depende da soma de esforços e iniciativas apontadas. Nossa avaliação indica a geração de mudanças no processo de intervenção da política de saúde mental do município, com vistas ao estimulo ao acolhimento diferenciado as demandas do serviço de referência à saúdemental, possibilitando mudança de conceitos sociais e culturais acerca dos usuários do CAPS.

Principal

Jade Isis de Sousa Nunes

sesau@santabarbara.ba.gov.br

A prática foi aplicada em

Abaíra

Bahia

Nordeste

Instituição

Santa Bárbara

Uma organização do tipo

Instituição Privada

Foi cadastrada por

Ideiasus/Conasems

Conta vinculada

mayaragoncalves.job@gmail.com

02 jun 2023

e atualizada em

03 out 2023

Seu Período de Execução foi de

até

Condição da prática

Concluída

Situação da Prática

Arquivos

Palavras-chave

Você pode se interessar também

Práticas
A Ozonioterapia no tratamento de dores crônicas
Rio de Janeiro
Práticas
Práticas integrativas e complementares no cuidado aos trabalhadores de saúde mental de Resende
Rio de Janeiro
Práticas
Projeto quilombos: o cuidado realizando práticas integrativas e complementares em quilombolas da Amazônia
Pará
Práticas
PRÁTICAS INTEGRATIVAS E COMPLEMENTARES EM SAÚDE NA ATENÇÃO TERCIÁRIA: A EXPERIÊNCIA DO HOSPITAL GERAL ROBERTO SANTOS
Bahia
Práticas
Práticas Integrativas e Complementares na Atenção em Saúde Mental: A Experiência de um Caps-Ad na Região dos Caétes
Pará
Práticas
O cuidado da saúde nos terreiros de religiões de matriz africana, do Vale do Rio do Sinos, pelo uso de plantas medicinais e litúrgicas: um patrimônio cultural e natural
Rio Grande do Sul
Práticas
Benefícios da aromaterapia na redução da medicalização no tratamento da hipertensão
Espírito Santo
Práticas
Benefícios da Terapia Floral para o Equilíbrio de Questões Emocionais
Espírito Santo