Olá,

Visitante

Campanha Selo do Amor: Estratégias que AumentarAM as Coberturas Vacinais em Descalvado/Sp

Categoria não especificada

No Brasil, o acesso às vacinas do Calendário Nacional de Vacinação é gratuito e são distribuídas pelo Programa Nacional de Imunização. Os dados para avaliação das coberturas vacinais são extraídos da alimentação do sistema e-Sus, sendo um dos instrumentos avaliativos, os indicadores de desempenho atingidos no programa Previne Brasil. Nos últimos anos observou-se uma queda das coberturas vacinais em praticamente todos os estados, muitos não atingiram a meta preconizada de cobertura, que é de 95% para a vacina Pentavalente e Poliomielite. Preocupados com os baixos índices apresentados no indicador de desempenho n.º 5 – Proporção de crianças de um ano de idade vacinadas com a vacina Pentavalente e Poliomielite Inativada, o município de Descalvado iniciou em julho de 2021, estudos para identificar as causas das baixas coberturas e programar ações efetivas para reverter esse quadro. Identificamos que um dos maiores problemas estava na alimentação dos dados no sistema e-Sus, assim em julho de 2021, iniciou-se uma higienização nos cadastros, vinculando todos os pacientes que passavam na sala de vacinas à equipe de saúde que pertencem , unificação dos cadastros duplicados e utilização de numeração correta de CNS. Ainda assim, nosso índice continuava abaixo do esperado. Diante disso, iniciou-se a identificação das crianças menores de um ano através da ficha espelho, porém, o processo não apresentava facilidade e agilidade para identificar os faltosos e acompanhar as datas dos retornos vacinais, já que o e-Sus não tem essa funcionalidade. Para sanar essa dificuldade, em janeiro de 2022, foi construída uma planilha no Office Excel com dados pessoais da criança, datas das vacinas aplicadas e aprazamento para próxima vacina, e fixamos uma fórmula, para que o próprio programa Excel, nos alertasse quando a criança estivesse próxima à data de seu retorno e um aviso de vacina atrasada por quantidade de dias. Utilizou-se essa tecnologia, através dos filtros, conseguindo uma análise detalhada e rápida das crianças faltosas. Essa ferramenta proporcionou utilizar a busca ativa pelos Agentes Comunitários de Saúde através de visitas domiciliares, telefonemas, mensagens via WhatsApp e, também parceria com a Secretaria de Educação que motivou no ato da matricula a apresentação do certificado de regularização vacinal das crianças e adolescentes. Outra estratégia utilizada pelo Município de Descalvado foi elaborar o Projeto “Pai que Ama o Filho leva para Vacinar” confeccionaram-se selos (Bronze, Prata e Ouro) com a finalidade de responsabilização aos pais quanto ao cumprimento do calendário vacinal do seu filho e promover a saúde dos pequeninos. Com um ano de vida e recebendo todas as vacinas propostas a criança ganha o selo Bronze anexado à Caderneta de Vacinação da criança, com dois anos completos e com as vacinas previstas no calendário de vacinação a criança ganha o selo Prata. Já com quatro anos e completando todas as vacinas do calendário a criança recebe o terceiro selo, de Ouro, finalizando assim as principais vacinas previstas no calendário vacinal. Intitulados, selos do amor, que também contribui para a construção de memórias afetivas de cuidado e proteção.

Nos últimos anos, especialistas em imunização e vigilância em saúde de diferentes instituições governamentais e não governamentais vêm alertando sobre a queda progressiva da cobertura vacinal no país, cenário agravado pela pandemia da Covid-19. Outros fatores que têm influenciado nesse cenário são o desconhecimento da gravidade dessas doenças por parte da população, os Fakes-News que repercutem na hesitação em vacinar, e problemas estruturais no país. O alerta da baixa cobertura vacinal vem acompanhado pela reintrodução de doenças imunopreveníveis como o sarampo e a poliomielite. Além disso os pais e responsáveis pelas crianças e adolescentes muitas vezes desconhecem o parágrafo1 do 14º artigo do ECA , que diz que é obrigatória a vacinação das crianças quando recomendado pelas autoridades sanitárias. Em de 2021, incitados pelo Projeto ImunizaSUS, que trazia as primeiras reflexões sobre as coberturas vacinais, iniciou-se estudos municipais para identificar as causas das baixas coberturas apresentadas no indicadores do Previne Brasil pelo município e programar ações efetivas para reverter esse quadro. Identificamos que um dos maiores problemas estava na alimentação dos dados, no sistema e-Sus, assim em julho de 2021, iniciou-se uma higienização nos cadastros, vinculando todos os pacientes que passavam na sala de vacinas, à equipe de saúde que pertence , unificação dos cadastros duplicados e utilização de numeração correta de CNS. Ainda assim, nosso índice continuava abaixo do esperado. Diante disso, iniciou-se a identificação das crianças menores de um ano do município através da ficha espelho, porém, o processo não apresentava facilidade e agilidade para identificar os faltosos e acompanhar as datas dos retornos vacinais. Viu-se também a necessidade de treinamento dos profissionais da sala de vacinas para as novas ferramentas de trabalho.

Para sanar as dificuldades apresentadas , em janeiro de 2022, foi construída uma planilha no Office Excel com dados pessoais da criança, datas das vacinas aplicadas e aprazamento para próxima vacina, e fixamos uma fórmula, para que o próprio programa Excel, nos alertasse quando a criança estivesse próxima à data de seu retorno e um aviso de vacina atrasada por quantidade de dias. Utilizou-se essa tecnologia, através dos filtros, conseguindo uma análise detalhada e rápida das crianças faltosas. Essa ferramenta proporcionou utilizar a busca ativa pelos Agentes Comunitários de Saúde através de visitas domiciliares, telefonemas, mensagens via WhatsApp e, também parceria com a Secretaria de Educação que exige no ato da matricula a apresentação do certificado de regularização vacinal das crianças e adolescentes. Além disso a equipe da sala de vacinas, autorizados pela Secretaria Municipal de Saúde, durante o horário de expediente, participou da Capacitação e-SUS APS – Módulo Vacinação, elaborada pela Divisão de Imunização e Núcleo de informação de Vigilância Epidemiológica / Centro de Vigilância Epidemiológica da Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo que nos possibilitou reconhecer várias ferramentas de melhoria e avaliação do processo de trabalho . Outra estratégia utilizada pelo Município de Descalvado foi elaborar o Projeto “Pai que Ama o Filho leva para Vacinar”, confeccionaram-se selos (Bronze, Prata e Ouro) com a finalidade de responsabilização aos pais quanto ao cumprimento do calendário vacinal do seu filho e promover a saúde dos pequeninos. Com um ano de vida e recebendo todas as vacinas propostas a criança ganha o selo Bronze anexado à Caderneta de Vacinação da criança, com dois anos completos e com as vacinas previstas no calendário de vacinação a criança ganha o selo Prata. Já com quatro anos e completando todas as vacinas do calendário a criança recebe o terceiro selo, de Ouro, finalizando assim as principais vacinas previstas no calendário vacinal. Intitulados, Selos do amor, que também contribui para a construção de memórias afetivas de cuidado e proteção. Todas as ações acima vem sendo implantadas e avaliadas no município com o objetivo de aumentar as coberturas vacinais , um trabalho de rede, que transpassa várias secretarias, mas também é necessário que melhorias sejam feitas nas outras esferas de governo na junção dos dados pelos sistemas , que muitas vezes perdem informações pelo caminho que percorrem; também são necessárias estratégias de logística para evitar a falta de vacinas nas salas de vacinas, sendo uma das mais importantes a diminuição de doses de alguns imunológicos por frasco , reduzindo consequentemente as perdas desses imunológicos. Também é necessário investir em ferramentas de avaliação e busca ativa do sistema e-Sus, para que os municípios não precisem contratar ou produzir sistemas próprios para ter essas informações. Não podendo deixar de falar que coberturas vacinais calculadas com denominadores superestimados distorcem os resultados, principalmente nas coberturas vacinais em menores de 1 ano e BCG , em que são utilizados dados do IBGE, deveriam ser substituidos por dados do Sinasc, que apresentam dados reais dos territorio.

Atingir as coberturas vacinais é a garantia de que doenças já erradicadas e controladas, como a poliomielite, não voltem a causar vítimas no Município de Descalvado – SP e no país, por isso tornou-se um trabalho importante, qualificado, motivador para a equipe e para os pais, que além de atingir a meta, e fazer vigilância em saúde, garantiu-se a prevenção de doenças imunopreveníveis. Com o trabalho apresentado, o indicador de desempenho n.º 5 do Programa Previne Brasil – Proporção de crianças de um ano de idade vacinadas com a vacina Pentavalente e Poliomielite Inativada do Município de Descalvado evoluiu gradativamente de 37% no inicio de 2019 para 99% no primeiro quadrimestre de 2023. #brasilaquitemsus

Principal

MICHELLI FABIANA LONGO

Coautores

Wander Roberto Bonelli

A prática foi aplicada em

Região

Instituição

Endereço

Uma organização do tipo

Instituição Privada

Foi cadastrada por

Conta vinculada

ideiasus@gmail.com

A prática foi cadastrada em

23 dez 2023

e atualizada em

23 dez 2023

Condição da prática

Concluída

Situação da Prática

Arquivos

Palavras-chave

Você pode se interessar também

Práticas
Gestar saudável – de 0 a 1000 dias
Paraíba
Práticas
Mapa territorial em saúde mental: instrumento exitoso do cuidado na atenção primária à saúde
Paraíba
Práticas
Implementação da estratégia Tenda da Imunização para aumento de coberturas vacinais
Todos os Estados (Nordeste), Paraíba
Práticas
Estratégias de imunização em município do interior da Paraíba resulta em 1º lugar no estado durante campanha de influenza 2024 : relato de experiência
Paraíba
Práticas
Mindfulness, uma estratégia para redução da ansiedade e manejo de peso
Rio Grande do Sul
Práticas
Teste: verificando o recurso de emissão de certificados
Todos os Estados (Sudeste)
Práticas
A importância do trabalho em rede para a efetivação da reinserção social aos dependentes químicos enquanto sujeitos de direitos: observações acerca do eixo reinserção social no Centro de Acolhimento e Atenção Integral Sobre Drogas do município de Cachoeiro de Itapemirim (ES)
Espírito Santo