Olá,

Visitante

Busca Ativa da Imunização da População no Municipio de Água Doce do Maranhão

Categoria não especificada

O município de Água Doce do Maranhão – MA, faz parte da regional de Chapadinha. População estimada pelo IBGE para 2021 de 12.731hab, IDHM de 0,500 (2010). Não possui hospital e suas urgências são, na maioria das vezes, direcionadas para Parnaíba – PI. É um município predominantemente rural, onde das 06 Unidades Básicas de Saúde – UBS, 01 está localizada na sede e 05 na zona rural. Todas as UBS tem sua sala de vacina climatizada com internet e Prontuário Eletrônico do Cidadão – PEC implantado. Conforme o sipni.datasus.gov.br, o município vem melhorando sua cobertura vacinal, a cada ano, junto as crianças menores de 2 anos. Em 2022, com a avaliação das estratégias realizadas e com a implementação de ajustes, o município avançou no bom desempenho da imunização de rotina das crianças na faixa etária menores de 2 anos. A estratégia utilizada está sendo estendida para as crianças menores de 5 anos e os adolescentes para que se consiga uma melhor cobertura de HPV, ACWY, HEP B e reforço da dT. A Coordenação de Imunização, juntamente com as 06 da Estratégia Saúde da Família – ESF adotaram a estratégia de busca ativa nas cadernetas de vacinação da população menor de 2 anos. Realizando, duas vezes ao ano (janeiro e agosto) essa ação. As cadernetas são recolhidas pelos ACS e avaliadas pela equipe de enfermagem da sala de vacina. As vacinas que estão em falta, são colocadas em um lembrete dentro da caderneta, registra-se em uma planilha que fica na sala de imunização de cada ESF para conhecimento dos técnicos responsáveis, assim como é disponibilizado uma cópia a cada Agentes Comunitários de Saúde – ACS, para que façam a busca ativa dessas crianças e encaminhe a UBS para atualização de sua caderneta de vacina. Além de administrar os imunos que faltam, a equipe de enfermagem, de posse da caderneta de vacina, atualiza o registro das doses já administradas no PEC através da transcrição da caderneta. Essa implementação de estratégia, contribuiu para que indicadores de BCG e Hepatite B tivessem um considerável avanço em 2022 através desse procedimento. As crianças de Água Doce do Maranhão não nascem no município por não ter hospital e as doses de BCG e Hepatite B, por serem administradas, na grande maioria, antes da alta hospitalar são realizadas nos municípios e estados vizinhos que não registram no SI-PNI. Os profissionais de saúde do município de Água Doce do Maranhão, se sentem motivados pelo crescimento do número de crianças imunizadas e registradas no sistema, mas têm consciência que muito ainda precisa ser feito para melhorar e manter essa cobertura não somente na rotina, mas também, nas campanhas. A gestão do município confia no comprometimento de cada profissional de saúde que faz parte do seu quadro e, acredita que a Pesquisa ImunizaSUS irá contribuir com novas estratégias de acesso, geração de dados e avaliação de resultados para conduzir a gestão a refletir e melhorar seu processo de trabalho.

A pandemia da covid19 contribuiu para que a população se afastasse da sala de imunização. Água Doce do Maranhão, por ser predominantemente rural com uma área total de 442.963 km2, possui difícil acesso em algumas localidades e ilhas que dependem da maré alta para que se chegue. Os problemas enfrentados como: religião, rotatividade de endereços da população e de profissionais, pais ou responsáveis que não tem o comprometimento de preveni doenças, através da imunização e registros das doses corretamente no sistema. Esses desafios nos instigam a melhorar as práticas na educação em saúde com a integração da educação popular. Nossa prioridade, no momento, são as crianças menores de 2 anos, seguido dos de 2 a 4 anos e adolescentes.

A Coordenação de Imunização do município, juntamente com as 06 equipes de ESF, vem implementando as ações de imunização tanto na rotina como nas campanhas. A coleta e verificação de todos os cartões de vacinação das crianças menores de 2 anos, duas vezes ao ano, de 2 a 4 anos e adolescentes, uma vez ao ano, tem melhorado as porcentagens de coberturas vacinais conforme planilha divulgada pelo SIPNI/2022, em anexo. Os profissionais de saúde do município são comprometidos com o fortalecimento das ações adotadas. Cada cartão de vacina avaliado, gera uma planilha das crianças que estão em atraso, seja de doses ou registro no PEC com seus respectivos ACS. Após conclusão dessa planilha, uma cópia fica na sala de vacina das ubs e a outra é entregue ao ACS para que encaminhe essas crianças ao posto para se vacinarem.

O município de Água Doce do Maranhão em 2022, conforme dados do sipni.datasus.gov.br, dos 07 imunos administrados em crianças menores de 1 ano, 06 (BCG, rota vírus, pneumo 10, vip, penta valente e meningocócica C), conseguiram a meta. Dos 06 imunos administrados em crianças de 1 ano, 04 (meningocócica C reforço, pneumo 10 reforço, T.V 1ª, VOP 1º reforço) conseguiram a meta e 02, após avaliação, foi constatado que foi falta de registro no sistema. O nosso potencial é o comprometimento dos profissionais, consideramos como fragilidade a dificuldade, de alguns profissionais, em lidar com os sistemas e recomendamos que o Ministério da Saúde disponibilize um sistema que consolide todas as vacinas em um só campo com atualizações diárias.

Principal

Tania Maria Penafiel Diniz Moura

Coautores

Enfº Rodolfo Victor Ferreira Feitosa, Enfª Lisamary Silva Vieira, Enfº Lucas Santiago Teixeira Viana, Enfª Joyce Fernandes Albuquerque, Enfª Jessica Driele da Silva Caldas, Enfª Cynthia Stephanne de Oliveira Costa

A prática foi aplicada em

Região

Instituição

Endereço

Uma organização do tipo

Instituição Privada

Foi cadastrada por

Conta vinculada

ideiasus@gmail.com

A prática foi cadastrada em

23 dez 2023

e atualizada em

23 dez 2023

Condição da prática

Concluída

Situação da Prática

Arquivos

Palavras-chave

Você pode se interessar também

Práticas
Caminhos estratégicos da APS frente a cobertura vacinal no município de Bernardino Batista
Paraíba
Práticas
Ampliando leque da rede: fortalecimento dos vínculos entre equipes e escola.
Paraíba
Práticas
Relato de experiência: humanização na atenção ao usuário no pronto atendimento de Pilar (PB))
Paraíba
Práticas
Implantação de laserterapia na rede de atenção à saúde de Pilar (PB): relato de experiência
Paraíba
Práticas
Paciente protagonista de sua terapia: o cuidado farmacêutico com pacientes atendidos no CAPS de Pilar (PB)
Paraíba
Práticas
Atenção e cuidado ao paciente portador de feridas no SUS em Pilar (PB)
Paraíba
Práticas
Quando a saúde vai além dos muros das UBS
Rio de Janeiro