Olá,

Visitante

Blog, Podcasts e Mídias Sociais na Divulgação Científica Como Recurso de Apoio ao Aleitamento Materno

A complexa linguagem na área de imunológica (SOUZA et al., 2007), aliada a importância do aleitamento materno e amamentação estimulam o desafio de ensinar e aprender imunologia associada a realidade profissional na área de saúde e assim promover um diálogo ininterrupto e indissociável entre a teoria e a prática com diferentes áreas do conhecimento. Além disso, como forma de democratizar o conhecimento produzido por pesquisadores, vários órgãos de fomento à pesquisa científica têm incentivado a divulgação de conteúdos científicos através de uma linguagem acessível ao profissionais e público leigo. Assim, buscou-se, a partir da elaboração de blog e podcasts envolvendo temas em imunologia e leite materno, promover esse diálogo e contribuir com a formação de profissionais atentos à necessidade de atualizarem-se constantemente. Além disso, foi criada uma página de fãs no Facebook para divulgação das publicações. Resumos de artigos científicos publicados recentemente foram traduzidos e adaptados para compor textos de fácil interpretação, outros sobre o mesmo tema compuseram episódios de breve revisão. Foram elaborados vinheta, marca e logo, sendo que o podcast, blog e página na rede e mídia social Facebook foram denominados ImunoCast. Os áudio foram gravados e, editados usando o software WavePad. Os arquivos de áudio que compuseram os episódios em podcasts foram hospedados no SoundCloud e blog (http://imunocastufu.blogspot.com.br/), assim como os textos em pdf, possibilitando diferentes formas de acesso ao usuário. Detalhes técnicos na edição dos áudios, textos e desenvolvimento do blog foram importantes para facilitar o acesso e interpretação do conteúdo. Os podcasts e textos foram hospedados também em disciplina no Moodle e discentes de vários cursos de graduação da Universidade Federal de Uberlândia tiveram outra forma de acesso aos conteúdos do blog e podcast. Com a criação do ImunoCast pretendeu-se promover a democratização do conhecimento e divulgar conteúdos relativos à Imunologia, leite materno e aleitamento materno. O blog e Facebook ajudaram, não só na divulgação dos episódios em podcast, como também permitiram relativa interatividade entre usuários e desenvolvedores dessas mídias digitais. Os episódios em podcast, juntamente com o blog e Facebook, representam recursos facilitadores na divulgação científica. As publicações no ImunoCast ocorrem semanalmente, contribuindo com a educação não só formativa no ensino Superior, como na educação permanente e divulgação científica e todos esses recursos midiáticos empregados como recursos didático-pedagógicos tem o papel de contribuir com a formação em saúde além das fronteiras dos bancos das universidades.

Como afirma Paulo Freire, para educar, é necessária a interação entre o meio e os sujeitos, em uma prática de liberdade na qual o sujeito adquire adequadamente o conhecimento. As Técnologias da Informação e Comunicação (TIC) ajudam em relação a este aspecto. Os meios de ensino devem acompanhar o processo de aprendizagem e tirar melhor aproveito dessa técnica, uma vez que o desenvolvimento da tecnologia é cada vez mais indispensável para o ensino e constrói condições para auxiliar e integrar as necessidades da educação, seja ela à distância ou presencial. (FREIRE, 1979).O ambiente educativo que envolve essas tecnologias não se utiliza mais, ou pelo menos não somente, do método em que o professor se limita a transmitir o conhecimento ao aluno de maneira expositiva. Esse ambiente tem-se configurado em um espaço em que os meios de comunicação são utilizados para construir aprendizagem, atitudes, valores e competências (GOHN, 2008).A tecnologia promoveu várias maneiras de compartilhar informações, sendo uma delas o conteúdo de áudio digital. Oferecendo acesso em qualquer lugar e a qualquer hora, o recurso de podcast é uma das alternativas para a divulgação de conteúdo científico. A partir de uma gravação de áudio digital, o podcast é divulgado e distribuído através da internet, que pode ser usada como meio de transmissão e tornar-se uma das principais chaves para a aprendizagem, haja vista sua grande popularidade atualmente (BAHIA, 2010).O público leigo, em geral, recebe a informação científica, mas não é alfabetizado cientificamente e pode, em certos casos, receber os termos técnicos ou conceitos complexos como um ruído, prejudicando o processo de compreensão. Por isso, a transmissão de informação para esse público requer cautela e decodificação do discurso científico, a partir de recursos como adaptação textual e metáforas. Um dos desafios da divulgação científica é conseguir manter a integridade dos termos técnicos e conceitos para impedir leituras erradas e incompletas, para que o processo comunicativo se estabeleça de fato (BUENO, 2010).A complexa linguagem na área de imunológica (SOUZA et al., 2007), aliada a importância do aleitamento materno e amamentação estimulam o desafio de ensinar e aprender imunologia associada a realidade profissional na área de saúde e assim promover um dia logo ininterrupto e indissociado entre a teoria e a prática com diferentes áreas do conhecimento. Assim, buscou-se, a partir da elaboracão de blog e podcasts envolvendo temas em imunologia e leite materno, promover esse diálogo e contribuir com a formação de profissionais atentos a necessidade de atualizarem-se constantemente. Dessa forma, pretendeu-se promover novos recursos de apoio na educação permanente e de divulgação cientifica para integrar acadêmicos e profissionais a tema extremamente relevante e importante nas atividades das diversas profissões do SUS: a proteção ao lactente promovido pelo leite materno.

A Universidade tem por finalidade não somente a formação de profissionais capacitados para exercerem seu ofício na sociedade, mas também possui um papel crucial no desenvolvimento social, político, econômico e cultural da sociedade em geral, por meio da produção e divulgação do conhecimento científico (CNPq, 2013). Este é um papel que pode ser facilmente realizado: basta integração entre grupos com mínimo conhecimento em informática. Todos os recursos utilizados no ImunoCast foram gratuitos e podem ser empregados por outros grupos de profissionais que também queiram promover a democratização de conteúdos na área da saúde.

Principal

Mônica Camargo Sopelete

A prática foi aplicada em

Uberlândia

Minas Gerais

Sudeste

Instituição

Endereço

Uma organização do tipo

Instituição pública

Foi cadastrada por

Mônica Camargo Sopelete

Conta vinculada

ideiasus@gmail.com

A prática foi cadastrada em

02 jun 2023

e atualizada em

14 set 2023

Condição da prática

Concluída

Situação da Prática

Arquivos

Palavras-chave

nenhuma

Você pode se interessar também

Práticas
A utilização de planilha de perfil epidemiológico de território facilitando e proporcionando qualidade ao trabalho dos agentes comunitários de saúde
Rio de Janeiro
Práticas
Apoio Digital e Fisioterapia Pós-Avc: Facilitando o Tratamento Individual
Rio de Janeiro
Práticas
IMPLANTAÇÃO DA SALA DE SITUAÇÃO DE SAÚDE DE NITERÓI: PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO E SAÚDE DIGITAL
Rio de Janeiro
Práticas
J154: Ferramenta facilitadora do processo de trabalho da rede protetiva
São Paulo
Práticas
Solução Digital para a o Monitoramento, Gestão e Trasparência da Imunização Contra o Covid-19
Paraíba
Práticas
Escala de Risco Familiar: uma Ferramenta de Qualificaçao do Processo de Trabalho Utilizada na Unidade Laboratorio da Planificaçao da Atençao a Saude, Tres Cachoeiras, Rs.
Práticas
A Contribuição da Redesfito Amazonas para a Fitoterapia no SUS: a Experiência de Parceria com a Secretaria Municipal de Saúde de Manaus.
Alagoas
Práticas
Saberes e Práticas Emancipatórias em Saúde da Família, Ambiente e Trabalho: Entrelaçando Metodologias para a Produção de Interconhecimentos no Contexto do Semiárido
Ceará
1 / 212