Olá,

Visitante

Aspecto Organizacional para o Fortalecimento da Vacinação no Município de Floriano-Pi

Categoria não especificada

Os serviços de imunização são ações estratégicas e rotineiras das unidades de Atenção Primária à Saúde (APS). A vacinação de rotina nos últimos anos, bem como as ações específicas de vigilância epidemiológica, vem se mostrando efetivas no controle, eliminação e erradicação de doenças imunopreveníveis. Esse estado possui uma população estimada em 3.289.290 milhões de habitantes, sendo, 60.111 habitantes do município de Floriano-PI, o qual ocupa atualmente a 5ª posição dentre as cidades mais populosas do estado, seguido pelas cidades de Teresina, (871.126), Parnaíba (153.863), Picos (78.627) e Piripiri (63.829) (IBGE, 2021). O município possui 26 Unidade de Saúde da Família-UBS com 16 salas de vacinas físicas e 07 salas virtuais. As ações de imunização ocorriam sem padronização de processo de trabalho e com estruturas fragilizadas. A pesquisa permite analisar os aspectos organizacionais da sala de vacina que interferem na cobertura vacinal do município com a identificação dos determinantes com ênfase na hesitação vacinal e a desinformação. Sendo assim, questionou-se como ocorre os aspectos organizacionais realizado no município para a realização das vacinas para aumentar a cobertura vacinal? No Piauí as estruturações das ações de imunização nos municípios alcançam 89% e, em algumas macrorregiões, é de mais de 90%. No território Vale do Rios e Itaueira, o qual Floriano pertence, no ano de 2019 vacinas como pentavalente (65,80%) e poliomielite (69,78%) atingiram coberturas inferiores a 70% , comparado aos percentuais do Brasil e região nordeste a cobertura vacinal do município é inferior. Trata-se de um estudo do tipo relato de experiência, sobre o gerenciamento das 16 salas de vacinas no município Floriano-Pi e avaliação dos aspectos organizacionais no cotidiano da APS. Portanto, com essa avaliação buscou-se identificar, investigar e priorizar problemas ou oportunidades de melhorias relacionadas ao trabalho desenvolvido nas salas de vacinas e isso só foi possível com a implantação de processos para estabelecer: fluxograma da sala de vacinação, cadastros das UBS no Sistema de Informação de Insumo Estratégicos- SIES para solicitação na Rede de Frio da Secretaria Municipal de Saúde de imunobiológicos e materiais, implantação de agendas com bloco de horas para o agendamento dos imunobiológicos de acordo a faixa etária de cada usuário com busca ativa dos faltosos em tempo oportuno, garantindo o cumprimento do calendário vacinal; aquisição de câmeras frias, caixa térmica para armazenamento das vacinas, Protocolo Operacional Padrão-POP para a normatização das atividades na sala de vacina, sistematização da puericultura na APS, capacitações dos profissionais, ações de mobilização e informação como: uso de carro de som, atividades lúdicas como baladas, palhaço, personagens de animação, pula-pula e comidas especificas para as crianças (pipoca, algodão doce e picolé), atividades extramuros com horários estendidos em locais como shopping e praças, sendo assim em 2022 a vacinação com a pentavalentes e poliomielite atingiram coberturas de 88,88% e 87,97% respectivamente dados superiores ao dos últimos anos.

A queda da cobertura vacinal no Brasil tem sido alvo de estudos e vários fatores contribuem para essa situação e de acordo a Pesquisa nacional sobre cobertura vacinal, seus múltiplos determinantes e as ações de imunização nos territórios municipais brasileiros realizada em 2021, contudo componentes como fenômeno de hesitação vacinal, impacto da pandemia da COVID-19, desenvolvimento de ações de capacitação, pesquisa e, comunicação voltadas para a imunização por meio do Projeto ImunizaSUS podem esta relacionados a essa queda. No Piauí as estruturações das ações de imunização nos municípios alcança 89% e, em algumas macrorregiões, é de mais de 90%. Em Floriano-PI que pertence a região de saúde Vale do Rios e Itaueira, no ano de 2019 vacinas como pentavalente ( 65,80%) e poliomielite (69,78%) atingiram coberturas vacinais inferiores a 70% , comparado aos percentuais do Brasil e região nordeste os do município se torna inferior. 1. TABELA: Cobertura vacinal do Município de Floriano no ano de 2019 – 2022: IMUNO 2019 2020 2021 2022 TOTAL BCG 91,29 106,10 161,90 153,12 127,71 Hepatite em crianças até 30 dias 93,57 101,85 164,23 149,60 126,93 Rotavírus Humanos 67,43 73,20 74,97 88,88 75,99 Meningococo C 68,85 72,66 71,87 87,97 75,22 Hepatite B 65,80 68,74 70,21 88,88 73,26 Penta 65,80 68,74 70,21 88,88 73,26 Pneumocócica 70,37 75,60 79,51 96,37 80,30 Poliomielite 69,72 68,08 70,32 87,97 73,90 Poliomielite 4 anos 54,07 74,77 53,69 71,33 63,52 Febre Amarela 60,24 59,91 61,46 64,81 61,57 Hepatite A 70,37 68,63 51,50 67,08 64,42 Pneumocócica ( 1° ref) 73,97 74,51 59,69 76,96 71,27 Meningococo C ( 1º ref) 72,88 77,02 58,69 77,41 71,49 Poliomielite (1 ° ref) 62,85 65,25 51,61 62,43 60,55 Tríplice Viral D1 79,52 75,05 65,78 78,43 74,70 Tríplice Viral D2 69,93 58,06 49,72 57,89 58,95 Treta Viral (SRC+VZ) 1,63 2,72 3,32 11,35 4,70 DTP – – 70,21 88,88 79,43 DTP RESF (4 a 6 anos ) 46,16 83,02 56,33 70,01 63,93 Tríplice Bacteriana (DTP) ( 1º ref) 52,61 77,02 52,60 62,88 61,30 Dupla adulta e tríplice acelular gestante 34,16 34,16 40,41 33,55 23,61 33,05 dTpa gestante 45,92 54,03 51,05 57,32 51,89 Varicela – 65,69 56,37 73,33 65,06 TOTAL 62,59 68,63 67,07 77,71 69,04 Fonte:SI-PNI/ MS, 2023. No período da pandemia as coberturas vacinais caíram conforme podemos observar na tabela acima, a partir de 2022 a Secretaria Municipal de Saúde preocupada com a queda da cobertura vacinal realizou monitoramentos e avaliações das salas de vacinação com o objetivo de identificar os problemas e propor estratégias para o enfrentamento dos mesmos. O aumento da cobertura vacinal no ano de 2022 após o período de pandemia só foi possível devido as estratégias propostas o que ocasionaram a melhoria na organização das salas de vacinas e a melhoria de processo do trabalho.

Trata-se de um estudo do tipo relato de experiência, sobre o gerenciamento das 16 salas de vacinas no município Floriano-Pi e avaliação dos aspectos organizacionais no cotidiano da APS. Contudo a gestão municipal realizou uma avaliação dos processos de trabalho observando aspectos como: organização geral das salas de vacina, procedimentos técnicos, qualificação dos profissionais, rede de frio, sistema de informação e vigilância epidemiológica. Após esta avaliação foram elaboradas estratégias para o enfrentamento dos problemas: • Implantação de fluxograma nas salas de vacinação; • Cadastros das UBS no Sistema de Informação de Insumo Estratégicos- SIES; • Implantação de agendas com bloco de horas; • Intensificação busca ativa dos faltosos; • Aquisição de câmeras frias; • Aquisição de Insumos; • Implantação do Protocolo Operacional Padrão-POP; • Sistematização da puericultura na APS; • Capacitações dos profissionais; • Ações de mobilização e informação como: uso de carro de som, atividades lúdicas;; • Realizações de atividades extramuros; • Implantação de horários estendidos em locais estratégicos.

A organização da APS principalmente das salas de vacinação são ações do cotidiano da Unidades Básica de Saúde, porém com queda da cobertura vacinal ao longo dos anos no Brasil e em Floriano não sendo diferente foram necessários avaliar os fatores, as dificuldades e os desafios que município estava vivenciando que pudesse ser ponto de melhoria para implantação de estratégias que se adequasse ao atual cenário e elevando as coberturas vacinais.com foco na organização das salas de vacinas. Portanto, aprimorar os processos dos trabalhos para ampliar o acesso às vacinas, de acordo com as necessidades atuais da população, capacidades dos trabalhadores é competências da Atenção Básica só assumindo essa responsabilidade poderemos atingir coberturas vacinais desejadas.

Principal

MEIRYLENE DOS SANTOS FERREIRA GOMES

Coautores

Vânia Arruda da Silva, Josifran Rabelo da Silva, Edildete Sene Pacheco

A prática foi aplicada em

Região

Instituição

Endereço

Uma organização do tipo

Instituição Privada

Foi cadastrada por

Conta vinculada

ideiasus@gmail.com

A prática foi cadastrada em

23 dez 2023

e atualizada em

23 dez 2023

Condição da prática

Concluída

Situação da Prática

Arquivos

Palavras-chave

Você pode se interessar também

Práticas
REGULAÇÃO EM URGÊNCIA CARDIOVASCULAR FRENTE A REDUÇÃO DA TAXA DE MORTALIDADE EM CAJAZEIRAS – PB
Paraíba
Práticas
ADESÃO DAS GESTANTES AO PRÉ-NATAL ODONTOLÓGICO: UMA PROPOSTA DE INTERVENÇÃO NA ATENÇÃO PRIMÁRIA À SAÚDE
Paraíba
Práticas
A PRÁTICA DE PRIMEIROS SOCORROS NO CONTEXTO DE UM CURSO TÉCNICO PARA AGENTES COMUNITÁRIOS DE SAÚDE
Paraíba
Práticas
Vacinação nos espaços de formação: experiência no 2º Congresso Nordestino de Pediatria
Paraíba
Práticas
A (in) visibilidade de quem está em situação de rua: caminhos possíveis para cuidado em saúde
Paraíba
Práticas
Título: Autismo – uma causa municipal.
Paraíba
Práticas
Do ambulatório LGBTQIAPNB+ ao Café com Diversidade: garantindo acesso e fortalecimento de vínculos
Paraíba
Práticas
Atuação intersetorial nos casos suspeitos de TEA na primeira infância, um relato de experiência.
Paraíba
Práticas
Programa Bolsa Família: processo formativo para profissionais da atenção primária
Paraíba