Olá,

Visitante

Análise de Fichas de Monitoramento de Doenças Diarreicas Agudas por Profissionais de Enfermagem

O objeto de estudo desta pesquisa trata-se do preenchimento da Ficha de Monitoramento de Doenças Diarreicas Agudas (MDDA) pela equipe de enfermagem. O interesse por este estudo se deu ao não preenchimento e/ou à falta de informações encontradas nestas fichas. Objetivo: Identificar motivos que levam ao não preenchimento das fichas de MDDA pela equipe de enfermagem. Metodologia: Trata-se de uma pesquisa de campo, quanti-qualitativa, de caráter exploratório onde o questionário foi aplicado a 33 profissionais da área de enfermagem de 8 unidades de saúde localizados em Rio Claro, interior do estado do Rio de Janeiro, Brasil. Os dados foram coletados através da aplicação de questionário com perguntas abertas e fechadas no mês de março de 2017. Atendendo a resolução 466/2012, o projeto foi encaminhado ao Comitê de Ética para apreciação e foi solicitado aos participantes da pesquisa a assinatura do Termo de Consentimento Livre Esclarecido, sob o número do CAAE 64967617.5.0000.5237. Análise e discussão dos resultados: Foram entrevistados 33 profissionais de enfermagem, 42,42% são técnicos de enfermagem, 57,58% são enfermeiros. Foi identificado que na equipe de enfermagem, dentre os 33 entrevistados, 52,58% assinalaram não preencher as fichas de monitoramento de doenças diarreicas agudas, com o motivo de desconhecerem o preenchimento das fichas o que acarretara impacto negativo nos dados epidemiológicos. Conclusão: Nota-se que, o número de profissionais de enfermagem capacitados (para atuação nos casos) de doenças diarreicas não é adequado e isto, consequentemente reflete-se nos números de casos notificados da doença apresentados nos sistemas de informação governamental. Portanto, este estudo, pretende resgatar a importância do programa de monitoramento de diarreias e que todo profissional de enfermagem saiba reconhecer as doenças diarreicas e sua sintomatologia, bem como, conhecer as fichas de MDDA preenche-las de forma correta

A falta de dados encontrados nas fichas de monitoramento de doenças diarreicas agudas

Capacitar todos os profissionais envolvidos desde a entrada na academia, visando a perda de dados e as subnotificações.

Principal

Rafael Francisco Teixeira

rafael.teixeira1989@gmail.com

A prática foi aplicada em

Rio Claro

Rio de Janeiro

Sudeste

Instituição

Endereço

Uma organização do tipo

Instituição pública

Foi cadastrada por

Conta vinculada

A prática foi cadastrada em

02 jun 2023

e atualizada em

14 set 2023

Condição da prática

Concluída

Situação da Prática

Arquivos

Palavras-chave

nenhuma

Você pode se interessar também

Práticas
Projeto social de controle populacional de cães e gatos como função de vigilância em saúde pública
Paraíba
Práticas
Vacinação nos espaços de formação: experiência no 2º Congresso Nordestino de Pediatria
Paraíba
Práticas
Controle das arboviroses no município de Brejo do Cruz – PB
Paraíba
Práticas
O Alcance dos indicadores da imunizaçâo do programa de qualificaçâo das ações de vigilância em saúde
Paraíba
Práticas
Acolhimento e seguimento intersetorial às crianças e adolescentes vítimas de violências
Paraíba