Olá,

Visitante

Ambulância Também Vacina: uMA Estratégia para Vencer a Hesitação Vacinal e Levar Vacina no Extremo Norte do Brasil

Categoria não especificada

O Projeto ambulância “ também vacina” tem como objetivo principal garantir que toda a população do município de Oiapoque/AP, especialmente aquelas que possuem dificuldade de acesso às Unidades Básicas de Saúde (UBS), tenha acesso à vacinação contra doenças contagiosas. A pandemia de COVID-19 trouxe à tona a importância de programas de vacinação em massa, e é essencial que toda a população seja vacinada para prevenir a disseminação de doenças e proteger a saúde pública. Vimos que a ambulância chamava atenção das pessoas em geral como crianças, jovens e adultos que chegavam perto perguntando o que estava acontecendo e diziam não sabia que ambulância também vacinava, dai surgiu nome do projeto. Devido que era a fala de varias pessoas sempre em locais deferentes. Nos dias seguintes os comentários da população quando a ambulância passava nas ruas já perguntavam quando iam passar nos seus bairros pra vacinar. O projeto Ambulância também vacina tem como principal estratégia a realização da aplicação de vacinas nas portas de suas casas em que equipes de saúde irão até as casas das pessoas, que se enquadram no público-alvo para aplicar as vacinas. Além disso, também serão realizadas ações de busca ativa de todas as vacinas atrasadas, nas áreas mais remotas como as comunidades quilombolas, ribeirinhas, e área indígenas em parceria com as lideranças locais. O projeto “Ambulância também vacina ” tem o potencial de melhorar significativamente a taxa de vacinação no município de Oiapoque/AP, garantindo que todas as pessoas tenham acesso à proteção contra doenças contagiosas. No entanto, em algumas áreas remotas e de difícil acesso, a vacinação pode ser desafiadora devido a barreiras geográficas, falta de infraestrutura ou recursos limitados. É nesse contexto que os projetos de vacinação em casa ou na porta de casa se tornam uma alternativa viável para alcançar populações vulneráveis, como é o caso do município de Oiapoque/AP. Com isso conseguimos alcançamos a percentual de 123% de vacinados na campanha da vacina poliomielite ficando assim em primeiro lugar no estado do Amapá. A iniciativa também pode servir como um modelo para outras cidades e regiões que enfrentam desafios semelhantes, tornando-se uma ferramenta importante para a promoção da saúde pública em todo o país. A vacinação é uma das intervenções mais importantes em saúde pública, pois pode prevenir doenças graves e salvar vidas.

Diante das baixas coberturas vacinais contra COVID-19 e da constante cobrança do Ministério Público em relação aos baixos indíces dessa vacinação no município de Oiapoque/AP, a Secretaria Municipal de Saúde adotou como medida de enfrentamento a inserção de uma equipe volante com intuito de alcançar principalmente as populações residentes em áreas rurais, indígenas, ribeirinhas, quilombolas, além de pessaos idosoas ou com algum tipo de deficiência que possuísse dificuldade de locomoção e até mesmo famílias com dificuldades para comparecer às Unidades Básicas de Saúde, assim, se iniciou o projeto “AMBULÂNCIA TAMBÉM VACINA” no segundo semestre do ano de 2022. Tendo como objetivo principal, garantir o acesso destas pessoas à vacinação contra COVID, Poliomelite e Tríplice Viral, principalmente. Como estratégia de divulgação do projeto foi utilizado uma ambulância como veículo de locomoção dos profissionais às diversas áreas do município. Para garantir o sucesso do projeto, foram realizados mapeamentos para identificar as áreas com mais dificuldade de acesso às UBS e que apresentavam baixa cobertura vacinal. Além disso, foram seguidos protocolos de segurança para garantir que as vacinas fossem armazenadas e transportadas corretamente, e que todas as medidas de prevenção de doenças fossem executadas. O projeto “AMBULÂNCIA TAMBÉM VACINA ” tem o potencial de melhorar significativamente a taxa de vacinação no município de Oiapoque/AP, uma vez que garante o acesso dessas pessoas à vacinação.

O projeto vacinação móvel, ocorreu no segundo semestre de 2022, contando com as equipes de saúde do município de Oiapoque/AP, para administração de vacinas no público-alvo. Foi realizado um mapeamento das áreas e estabelecidos cronogramas pela coordenação do projeto para nortear a ação. As equipes se locomoviam até os pontos previamente escolhidos através de um ambulância, além disso, divulgaram também a ação nas redes sociais, rádios locais e distribuição de panfletos. Disponibilizaram ainda um agendamento para pessoas que portavam necessidades específicas e não conseguiam chegar até a unidade básica de saúde, tendo apenas que informar o nome, endereço, idade, CPF, telefone e debilidade ou deficiência que impedia o acesso à unidade. Antes da saída das equipes, as doses das vacinas e materiais eram organizadas e conferidos, havia um treinamento da equipe para assegurar a segurança e qualidade do atendimento. A equipe chegando no domicílio , verificava o cartão de vacina do paciente; identificava as vacinas e doses em atraso e assim aplicava e registrava a vacina, seguindo os protocolos estabelecidos pelo Ministério da Saúde, ainda orientava o paciente sobre os possíveis efeitos colaterais e como proceder caso ocorressem. O monitoramento se deu através de registro atualizado das doses aplicadas. E com a avaliação dos resultados do projeto, verificou-se que a vacinação móvel pode agir como complemento para o alcance da população vacinável.

A vacinação é uma intervenção importante em saúde pública, pois previne doenças e/ou seus agravos. No entanto, em algumas áreas, a cobertura vacinal pode ser desafiadora devido barreiras geográficas, falta de infraestrutura ou recursos limitados. É nesse contexto que os projetos de vacinação em domicílio se tornam uma alternativa viável para alcançar populações vulneráveis, como é o caso de algumas áreas do município de Oiapoque/AP. Esse projeto traz muitos benefícios para a saúde pública e para a comunidade em geral. Pois, facilita o acesso das pessoas, que não podem se deslocar à um posto de saúde, como também alcança as áreas rurais ou remotas, onde os postos de saúde geralmente estão longe. Aumentando, assim, as taxas de adesão da cobertura vacinal e a proteção contra doenças infecciosas. Essa melhoria da cobertura vacinal resultou, em 2022, no alcance da meta da campanha de poliomielite, estabelecida pelo Ministério da saúde, alcançamos metas de 123% na campanha da poliomielite para o município do Oiapoque/Ap. Isso porque quando os profissionais de saúde chegam até o domicílio, têm a oportunidade de identificar/orientar/vacinar as pessoas que não foram vacinadas.

Principal

Keila Barros de Souza

Coautores

MARIORGE AIRES

A prática foi aplicada em

Região

Instituição

Endereço

Uma organização do tipo

Instituição Privada

Foi cadastrada por

Conta vinculada

ideiasus@gmail.com

A prática foi cadastrada em

23 dez 2023

e atualizada em

23 dez 2023

Condição da prática

Concluída

Situação da Prática

Arquivos

Palavras-chave

Você pode se interessar também

Práticas
Projeto Hidrovida: a utilização de terapia aquática como forma de tratamento para idosos com doenças osteomusculares.
Paraíba
Práticas
Assistência multiprofissional aos portadores de hipertensão e diabetes mellitus de uma UBS de Belém do Brejo do Cruz – PB: relato de experiencia
Paraíba
Práticas
Oficina de atualizacao dos cadastros para melhoria da cobertura vacinal em Junco do Serido-PB
Paraíba
Práticas
A potência do microplanejamento no fortalecimento das ações de imunização em Esperança – PB.
Paraíba
Práticas
Inovação do cuidado em saúde mental no município de São José do Sabugi-PB a partir da prática.
Paraíba
Práticas
Gestão de saúde em Queimadas – PB: uso estratégico da informação no planejamento das ações
Paraíba
Práticas
Aperfeiçoamento e segurança: impacto do trabalho multiprofissional na farmácia básica de Queimadas/PB
Paraíba