Olá,

Visitante

Retomada da Prática de Yoga Como Forma de Promoção À Saúde Após o Advento da Vacinação para Covid 19

A experiência aqui relatada foi realizada a partir do final do ano de 2021, período em que a humanidade ainda atravessava a pandemia causada pelo SARS-Cov-2, cuja contaminação passava a ter apresentação mais leve desde o surgimento das vacinas no início daquele ano. O cenário foi a Unidade Básica de Saúde (UBS) Vila Formosa, no município de São José, localizado na macrorregião da Grande Florianópolis – onde estão inseridos autora e coautores. A cidade possui extensão territorial de 113,6 km2, sendo banhada pelas baías norte e sul de Santa Catarina e seccionada pela BR 101. Segundo dados do IBGE, possuía uma população estimada de 253.705 habitantes no ano de 2021. O bairro Forquilhas, ao qual pertence a UBS Vila Formosa, localiza-se no distrito oeste, um dos 5 entre os quais o município é dividido. A prática de Yoga já vinha sendo uma das atividades coletivas da UBS desde o ano de 2019, tendo sido descontinuada em março de 2020, a partir das restrições impostas pela pandemia. Com a redução de tais restrições e o retorno das atividades coletivas de promoção à saúde, e a partir da evidência empíricado descontrole de doenças crônicas, deterioração da saúde mental e também do sedentarismo acometendo aquela população, decidiu-se pela retomada das aulas semanais de Yoga. A partir da mobilização de médicas de uma das equipes da UBS, juntamente a uma Agente Comunitária de Saúde (ACS) e duas profissionais de Educação Física do NASF, em novembro de 2021 o grupo de Yoga foi reinaugurado.

O projeto teve como objetivo geral a promoção da saúde da comunidade a partir da prática de Yoga semanal. Os objetivos específicos foram a redução da morbidade causada por condições crônicas de saúde, o estímulo à prática de hábitos de vida saudáveis e a promoção de consciência corporal e sobre o funcionamento mental de cada indivíduo.

Há também saber científico confirmando que o Yoga beneficia algumas das principaiscondições vistas na APS, são elas: hipertensão, dor lombar e transtornos depressivos/ansiosos. Nessa experiência, percebemos melhora referida dos dois últimos.Diante do sabido bem-estar provocado, a despeito de baixos custos e elevada segurança, são válidas a prática e tomada de conhecimento dos seus potenciais pela comunidade científica.

Principal

Carolina Aparecida Donofrio Santos Costa

carol.ascosta@gmail.com

A prática foi aplicada em

São José

Santa Catarina

Sul

Instituição

Rua Antonio Jovita Duarte sn

Uma organização do tipo

Instituição privada

Foi cadastrada por

Carolina Costa

Conta vinculada

A prática foi cadastrada em

02 jun 2023

e atualizada em

14 set 2023

Condição da prática

Concluída

Situação da Prática

Arquivos

Palavras-chave

nenhuma

Você pode se interessar também

Práticas
As PICS como ferramenta potencializadora no cuidado a saúde do trabalhador
Paraíba
Práticas
Práticas integrativas em um grupo tereapêutico “equilíbrio das emoções”
Paraíba
Práticas
Auriculoterapia uma práticas integrativas: como alternativa complementar no tratamento da ansiedade
Paraíba
Práticas
IMPLANTAÇÃO DE PRÁTICA INTEGRATIVA E COMPLEMENTAR NA REDE DE ATENÇÃO A SAÚDE DE QUEIMADAS-PB
Paraíba
Práticas
A terapia comunitária integrativa como inclusão e bem-estar na terceira idade.
Rio de Janeiro
Práticas
Implantação do Centro de Referência em MTC e Práticas Integrativas no Município de Duque de Caxias
Rio de Janeiro
Práticas
Planejamento orientativo do CTA/SAE Juara – MT, sobre protocolo de PEP às farmácias do Vale do Arinos.
Mato Grosso
Práticas
A Ozonioterapia no tratamento de dores crônicas
Rio de Janeiro