Olá,

Visitante

Qualificando o Registro na Saúde: Estratégia para Adequação dos Registros de Procedimentos Realizados na Semus

Finalidade da experiência

Um dos grandes desafios da equipe de Controle da Gerência de Regulação, Controle e Avaliação (GRCA) da SEMUS é a adequação dos registros de procedimentos realizados pelos profissionais da rede. Há anos a produção realizada é analisada exaustivamente pelos técnicos da Coordenação de Controle com vistas à correção das inconsistências encontradas nesses registros, sem a correspondente mudança de comportamento, apesar das inúmeras tentativas de orientação por meio de relatórios mensais enviados às unidades de saúde do município. A Organização Mundial de Saúde (OMS) definiu o Sistema de Informação em Saúde (SIS) é um mecanismo de coleta, processamento, análise e transmissão de informação necessária para se planejar, organizar, operar e avaliar os serviços de saúde. Nessa lógica, verifica-se que a Política Nacional de Informação e Informática (PNII) no Brasil, definida pelo Ministério da Saúde (MS), que prevê a promoção da tecnologia da informação, para melhorar os processos de trabalho em saúde, resultando em um Sistema Nacional de Informação em Saúde articulado, que produza informações para os cidadãos, a gestão, a prática profissional, a geração de conhecimento e o controle social, garantindo ganhos de eficiência e qualidade mensuráveis através da ampliação de acesso, equidade, intregralidade e humanização dos serviços e, assim, contribuindo para a melhoria da situação de saúde da população (BRASIL, 2004). O Sistema de Informação Ambulatorial – SAI foi implantado nacionalmente na década de noventa visando o registro dos atendimento realizados no âmbito ambulatorial, por meio do boletim de produção ambulatorial – BPA. Sua consolidação correta através dos Relatórios da Produção permite o repasse financeiro para estados e municípios. No momento do processamento da produção ambulatorial destaca-se uma série de críticas cruzadas que precisam ser corrigidas para garantir a qualidade da informação em saúde. Dessa forma, a equipe de controle do GRCA elaborou em junho de 2014, o projeto Qualificando o registro na saúde e iniciou a implantação das ações propostas para aprimorar o sistema de registro utilizado na SEMUS, evitando perdas na produção por registros indevidos das ações e atividades desenvolvidas pelos profissionais da rede. As estratégias adotadas também visam disseminar a cultura de um registro correto e sob os preceitos da legalidade

Para a próxima etapa estão sendo analisadas as produções ambulatoriais dos profissionais treinados com o objetivo de verificar a adequação dos registros realizados por eles nos três meses subsequentes ao treinamento. Entendemos que é necessário a compreensão de que no setor da saúde, a informação é grande aliada do processo decisório, uma vez que auxilia no conhecimento sobre as condições de saúde, mortalidade e morbidade, fatores de risco, condições demográficas entre outras (ROUQUAYROL, 2006). Nessa lógica, verificamos que muitas vezes, não é dada a devida importância à coleta de dados, sendo realizada apenas para cumprir as determinações administrativas. O preenchimento dos múltiplos formulários, a falta de capacitação dos profissionais, o desinteresse em manipular os sistemas de informação e a dificuldade de alguns profissionais na manipulação de computadores são fatores que agravam ainda mais a qualidade da informação gerada. Entretanto, com a implementação de ações como estas é possível mudar o cenário. Para tanto, verifica-se a necessidade de melhorias na articulação intersetorial ppara garantir a participação dos envolvidos. Portanto, é fundamental que o trabalho seja compartilhado na rede para dar visibilidade e desconstruir a ideia de que sistema de informação é somente a alimentação de dados.

Principal

Andréa Barbosa Alves

dkbehning@vitoria.es.gov.br

A prática foi aplicada em

Vitória

Espírito Santo

Sudeste

Instituição

Rua Marechal Mascarenhas de Moraes, nº: 1185

Uma organização do tipo

Instituição pública

Foi cadastrada por

Andréa Barbosa Alves

Conta vinculada

A prática foi cadastrada em

02 jun 2023

e atualizada em

14 set 2023

Condição da prática

Concluída

Situação da Prática

Arquivos

Palavras-chave

nenhuma

Você pode se interessar também

Práticas
Contracepção Reversível de Longa Ação na política de saúde feminina: aquisição de todos em Maricá – RJ
Rio de Janeiro
Práticas
Planejamento Local e Participativo na Estratégia Saúde da Família no Município de Cachoeirinha/Tocantins
Tocantins
Práticas
Novo modelo de cooperação intermunicipal na região de saúde de São Sebastião do Paraíso(MG)
Minas Gerais
Práticas
Implantação do Espaço de ofertas de Práticas Integrativas e Complemenares em Saúde(Pics) para Trabalhadores, Alunos, Estagiários e Usuários-Ensp/Fiocruz
Rio de Janeiro
Práticas
Conferências Locais de Saúde: Estratégias de Educação Permanente para o Plano Municipal de Saúde.
Rio Grande do Sul
Práticas
“Uso de Dados do Sisreg Prótese odontológica no Planejamento na Gestão Pública em Fraiburgo Sc”
Santa Catarina
Práticas
Implantação de ferramenta de cadastro e autorização de procedimentos oncológicos em Montes Claros (MG)
Minas Gerais
Práticas
Saúde do Trabalhador: Ampliação do Acesso a Assistência, Cuidado, Promoção e Prevenção.
Paraíba