Olá,

Visitante

Projeto Bumerangue – Terapia Comunitária

Finalidade da experiência

O Projeto Bumerangue foi elaborado para concorrer ao recurso da Portaria nº 227, de 9 de setembro de 2011. A proposta foi aprovada pelo Ministério da Saúde, conforme Portaria nº 2.970, de 14 de dezembro de 2011. O projeto tem como objetivo geral programar ações de vigilância e prevenção das violências, tendo como prioridade a violência doméstica, sexual e outras violências que afetam segmentos mais vulneráveis da população, assim com promoção à saúde e o estímulo à cultura da paz. Um dos objetivos específicos é realizar grupos de Terapia Comunitária. A Terapia Comunitária é um procedimento terapêutico, em grupo, com a finalidade de promover a saúde e a Atenção Primária em saúde mental. Por ser um trabalho em grupo atinge um grande número de pessoas, abrangendo diversos contextos familiares, institucionais e sociais. A metodologia da Terapia Comunitária foi criada e sistematizada pelo psiquiatra e antropólogo Adalberto Barreto, em 1987, na favela de Pirambu, Fortaleza – CE. Essa metodologia já foi implantada em dezenove Estados brasileiros e foi tema dos debates para o sec. XXI, realizados pela UNESCO (Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e Cultura) no ano 2000, em Paris, na França. A Terapia Comunitária se constitui num espaço propiciador para a fala e expressão do sofrimento e das situações de crise. Também é um instrumento importante para o resgate cultural e da autoestima das populações menos favorecidas, nas mais variadas comunidades. Além disso, é um exercício de inclusão e de valorização das diferenças e dos referenciais positivos de cada indivíduo.

Até 23 de abril de 2015, já participou da Roda de Terapia Comunitária um total de oitocentos e vinte e uma pessoas. Dentre os beneficiários do projeto estão os profissionais de saúde das Unidades de Saúde citadas, bem como a população de abrangência. Depoimentos dos beneficiários do projeto: “Significaram muito, significaram uma maneira diferente de ver os problemas e de como resolver, assim como ajudou na união entre meus colegas de trabalho e com os pacientes”

Principal

Caroliny Stocco

epidemio-sms@pontagrossa.pr.gov.br

A prática foi aplicada em

Ponta Grossa

Paraná

Sul

Instituição

Av. Visconde de Taunay, 950

Uma organização do tipo

Instituição pública

Foi cadastrada por

Caroliny Stocco

Conta vinculada

A prática foi cadastrada em

11 set 2016

e atualizada em

14 set 2023

Condição da prática

Concluída

Situação da Prática

Arquivos

Palavras-chave

nenhuma

Você pode se interessar também

Práticas
Ações intersetoriais: integrando estratégias no combate às arboviroses na cidade de Belém do Brejo da Cruz (PB)
Paraíba
Práticas
Re(h)abilitando a interdisciplinaridade e o cuidado na atenção primária à saúde
Paraíba
Práticas
A (in) visibilidade de quem está em situação de rua: caminhos possíveis para cuidado em saúde
Paraíba
Práticas
Do ambulatório LGBTQIAPNB+ ao Café com Diversidade: garantindo acesso e fortalecimento de vínculos
Paraíba
Práticas
Fato ou fake: utilizando a força da internet no combate a fake news sobre vacinação em Esperança – PB.
Paraíba
Práticas
Projeto saúde na feira: ampliando o acesso de serviços de saúde no município de Ingá.
Todos os Estados (Norte)
Práticas
Promoção da saúde mental dos trabalhadores da estratégia de saúde da família: cuidando do cuidador.
Paraíba