Olá,

Visitante

Projeto alternativo uso racional e/ou redução de benzodiazepínicos (Bzd)

A Estratégia Saúde da Família (ESF) e o Núcleo de Apoio da Saúde da Família (NASF) identificaram o aumento considerável do número de dependentes de benzodiazepínicos (BZD) em Patrocínio. De acordo com a Linha Guia de Saúde Mental da SES/MG, os BZD estão entre os medicamentos mais prescritos no mundo. Essa realidade não é apenas de Patrocínio, estima-se que 50 mil pessoas façam uso diário desta medicação.Metodologia: Realizou-se o levantamento do nº de usuários em uso de BZD do território em questão. Foram analisados os prontuários e informações prévias para exclusão dos usuários que apresentaram impossibilidades clínicas de retirada ou redução de BZD. Após analises, selecionou-se 100 usuários, os quais foram divididos em quatro grupos de 25 pessoas cada. Eles foram convidados para um acolhimento inicial individual com a enfermeira, que atualizou as informações e os convidou para o encontro grupal inicial de apresentação da proposta e roda de conversa sobre os efeitos nocivos do uso irracional de BZD. Cada grupo foi realizado em horários e dias diferentes para melhor atendê-los. O projeto teve oito encontros grupais, ocorrendo quinzenalmente, com duração de uma hora e trinta minutos, com equipe multiprofissional. Foram realizadas ainda, seis consultas clínicas individuais, uma ao mês, de reavaliação e acompanhamento. Nestas, o médico clínico avaliou as condições gerais de saúde dos usuários e estabeleceu um plano de cuidado. Quando necessário, realizou-se acolhimentos individuais pelas enfermeiras e psicóloga para avaliação de necessidade de intervenção complementar. Os procedimentos foram registrados nos prontuários e em uma ficha própria do Projeto, a qual funcionou como meio de comunicação entre as equipes e de análise do processo. Público alvo: adultos e idosos residentes em Patrocínio, pertencentes à UBS Santa Terezinha, em uso crônico e/ou irregular de BZD, sem condição orgânica e/ou indicação clínica que justifique o uso.

Promover a redução do número de usuários dependentes de BZD e conscientizar os mesmos quanto aos malefícios do uso irracional e/ou em longo prazo.Oferecer alternativas terapêuticas às condições físicas e psíquicas dos usuários.Construir a co-responsabilização, o acolhimento mútuo, as trocas interpessoais e o fortalecimento do vínculo entre usuários e as equipes ESF e NASF.

Observou-se que o Projeto foi uma experiência exitosa e está sendo ampliado para outras UBS’s do Município de Patrocínio.

Principal

Camila Rosa de Alvarenga, Kátia Morais Gonçalves, Matheus Oliveira Vieira Vilaça, Renata Nascentes, Sabrina Dorneles Azevedo Santos, Sandra Aparecida da Cunha

raps@patrocinio.mg.gov.br

A prática foi aplicada em

Patrocínio

Minas Gerais

Sudeste

Esta prática está vinculada a

Rua Joaquim Carlos dos Santos 169

Uma organização do tipo

Instituição Pública

Foi cadastrada por

Camila Rosa de Alvarenga, Kátia Morais Gonçalves, Matheus Oliveira Vieira Vilaça, Renata Nascentes, Sabrina Dorneles Azevedo Santos, Sandra Aparecida da Cunha

Conta vinculada

A prática foi cadastrada em

11 jun 2019

e atualizada em

01 abr 2024

Condição da prática

Concluída

Situação da Prática

Arquivos

Palavras-chave

nenhuma

Você pode se interessar também

Práticas
A (in) visibilidade de quem está em situação de rua: caminhos possíveis para cuidado em saúde
Paraíba
Práticas
Do ambulatório LGBTQIAPNB+ ao Café com Diversidade: garantindo acesso e fortalecimento de vínculos
Paraíba
Práticas
Fato ou fake: utilizando a força da internet no combate a fake news sobre vacinação em Esperança – PB.
Paraíba
Práticas
Projeto saúde na feira: ampliando o acesso de serviços de saúde no município de Ingá.
Todos os Estados (Norte)
Práticas
Promoção da saúde mental dos trabalhadores da estratégia de saúde da família: cuidando do cuidador.
Paraíba
Práticas
Projeto Hidrovida: a utilização de terapia aquática como forma de tratamento para idosos com doenças osteomusculares.
Paraíba
Práticas
Assistência multiprofissional aos portadores de hipertensão e diabetes mellitus de uma UBS de Belém do Brejo do Cruz – PB: relato de experiencia
Paraíba