Olá,

Visitante

Intersetorialidade em Busca de Atendimento em Rede para o Abrigo Municipal e Pessoas em Situação de Rua do Território da Unidade Basica de Saúde Dr Carlito Von Schilgen – Jabour, Vitoria – Es

FINALIDADE DA EXPERIÊNCIA: Promover ações intersetoriais sobre a atenção ao cuidado à saúde dos residentes do Abrigo Municipal do bairro Jabour, bem como intensificar ações para o acolhimento de pessoas que permanecem em situação de rua, por meio da valorização dos sujeitos e responsabilização compartilhada, com vistas a superar os desafios que limitam a intesetorialidade necessária à intervenção.DINÂMICA E ESTRATÉGIAS DOS PROCEDIMENTOS USADOS:Inicialmente foi realizado um diagnóstico sobre a saúde dos usuários residentes do Abrigo Municipal e das pessoas em situação de rua que habitam o território da UBS Jabour. Com base nos dados coletados, as situações foram discutidas nos espaços coletivos da Unidade, em especial no Colegiado Gestor e no Conselho Local de Saúde, utilizando-se a metodologia da roda (CAMPOS, 2007).INDICADORES/VARIÁVEIS/COLETA DE DADOS:O diagnóstico da situação de saúde dos abrigados e das pessoas em situação de rua foi realizado por meio de levantamento de dados dos prontuários contidos na REDE BEM ESTAR, sistema informatizado da Secretaria Municipal de Saúde de Vitória. Foram identificados 40 usuários do sistema, dos quais 12 (30%) não possuíam sequer o Cartão Nacional de Saúde, ao passo que os demais possuíam mais de um número de registro. Da população de rua, inicialmente foram identificados 07 pessoas, dos quais 05 já estiveram anteriormente abrigados e 01 correspondia a uma mulher vítima de violência sexual e com transtorno mental. O grupo caracteriza-se pelo uso abusivo de álcool e de substâncias psicoativas e por apresentar dificuldade em aderir aos encaminhamentos propostos pelo serviço.OBSERVAÇÕES/AVALIAÇÃO/MONITORAMENTOO diagnóstico e as discussões nos espaços coletivos resultaram em encaminhamentos de ações de intervenção e monitoramento tais como: (1) Reuniões mensais entre a equipe da UBS Jabour e do Abrigo Municipal para discussão sobre a saúde dos usuários abrigados com o apoio matricial, a partir do diagnóstico e da avaliação realizados previamente e em conformidade com as deliberações dos espaços coletivos da Unidade de Saúde

O Abrigo de Jabour, Vitória – ES, consiste em um espaço de moradia provisória para adultos em situação de rua que são encaminhados pela equipe de Abordagem e Centro de Referência Especializado de Assistência Social para População de Rua e pelo grupo de trabalho intersetorial que se reúne no território de saúde. Este projeto social é praticado em parceria com a Agência Adventista de Desenvolvimento e Recursos Assistenciais (ADRA) há 13 anos. Além do acolhimento, o principal objetivo do abrigo é a ressocialização familiar e comunitária dos usuários, resgatando sua autonomia como cidadão, por meio do atendimento e acompanhamento das condições sociais, psicológicas e de saúde dos abrigados até que possam retornar ao convívio familiar e/ou ingressar em um novo projeto de vida. O Abrigo de Jabour também é porta de entrada para as Casas Lares, destinadas a usuários com transtorno mental sem possibilidade de reintegração familiar em curto prazo. O equipamento funciona por 24 horas e possui capacidade para 40 pessoas, sendo oferecidos alimentação, higienização, medicamentos, vestuário, atendimento social, atendimento psicológico, atendimento de enfermagem, assistência religiosa, oficinas terapêuticas ou de capacitação profissional com temas variados, de acordo com as demandas de saúde, limitações físicas e mentais (temporárias ou permanentes).De acordo com a Política Nacional de Assistência Social (Ministério do Desenvolvimento Social de Combate à Fome, 2005), o enfrentamento da situação em que se encontram os abrigados deve ser construído de forma intersetorial entre gestores públicos, principalmente aqueles representativos da Saúde, Educação, Trabalho e Habitação. No que se refere ao setor Saúde, a garantia da atenção integral à saúde das pessoas em situação de rua representa um grande desafio, visto que muitas vezes os acolhidos não possuem familiares ou responsáveis, bem como há a necessidade de adequação das ações e serviços existentes para assegurar a este público o princípio da equidade e do acesso universal no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS).Baseado nos princípios que norteiam as ações do SUS e na sua Política de Humanização (HumanizaSUS), uma avaliação realizada pela equipe da Unidade Básica de Saúde Dr. Carlito Von Shilgen (UBS Jabour) em maio de 2013 identificou a necessidade de promoção de ações intersetoriais para longitudinalizar a atenção ao cuidado à saúde dos residentes do abrigo, bem como de intensificação de ações para o acolhimento de pessoas que permanecem em situação de rua, por meio da valorização dos sujeitos e responsabilização compartilhada. No entanto, para ter efetividade, a ação intersetorial deve ser composta de planejamento, organização e gerenciamento de distintos atores, no sentido de racionalizar os recursos existentes e acompanhar/conduzir o desenvolvimento das intervenções sobre os problemas e necessidades sociais (Teixeira &amp

A experiência da intersetorialidade no território de saúde da UBS Jabour pode se configurar em um Projeto Piloto para multiplicidade da ação nos demais territórios de saúde do município de Vitória, com vistas à construção de uma rede de cuidado resolutiva no acolhimento dos pacientes em situação de vulnerabilidade social dos equipamentos da Assistência Social e outros na Saúde.A intersetorialidade no território de saúde da UBS Jabour aproximou diferentes equipamentos em uma rede de cuidado onde anteriormente se verificava intervenções fragmentadas. Nesse processo, a gestão compartilhada e a valorização dos espaços coletivos mostram-se determinantes para o envolvimento e comprometimento das equipes. Tal experiência pode ser o início da construção de uma rede de cuidado resolutiva no acolhimento dos pacientes em situação de vulnerabilidade social no município de Vitória.

Principal

Manoel Coutinho Pimentel Júnior

dkbehning@vitoria.es.gov.br

A prática foi aplicada em

Vitória

Espírito Santo

Sudeste

Instituição

Av. Marechal Mascarenhas de Moraes, n.º 1.185, Forte São João.

Uma organização do tipo

Instituição pública

Foi cadastrada por

Manoel Coutinho Pimentel Júnior

Conta vinculada

A prática foi cadastrada em

02 jun 2023

e atualizada em

14 set 2023

Condição da prática

Concluída

Situação da Prática

Arquivos

Palavras-chave

nenhuma

Você pode se interessar também

Práticas
Assistência odontológica aos trabalhadores da saúde municipal de Esperança: relato de experiência
Paraíba
Práticas
Caminhos do Cuidado, levando serviços de saúde para as comunidades rurais no município de Condado (PB)
Paraíba
Práticas
Gestar saudável – de 0 a 1000 dias
Paraíba
Práticas
Mapa territorial em saúde mental: instrumento exitoso do cuidado na atenção primária à saúde
Paraíba
Práticas
Implementação da estratégia Tenda da Imunização para aumento de coberturas vacinais
Todos os Estados (Nordeste), Paraíba
Práticas
Estratégias de imunização em município do interior da Paraíba resulta em 1º lugar no estado durante campanha de influenza 2024 : relato de experiência
Paraíba