Olá,

Visitante

Importância do Núcleo de Nutrição e Transtornos Alimentares (Nnuta) no Capsi de Campina Grande – Pb.

A pandemia do novo coronavírus, ocasionou mudanças de forma geral na vida, na rotina das pessoas, deixando-os em necessário isolamento socia, e consequentemente, com a saúde mental, física e social comprometida. E quando falamos em saúde mental, muitas dessas pessoas foram acometidas com sofrimento psíquico, tais como: ansiedade, depressão, transtorno de pânico e transtornos alimentares. Esse aumento significativo de Transtornos Alimentares, além das dificuldades alimentares e seletividade alimentar nas crianças e adolescentes, como também do ganho e perda de peso consideráveis, são reflexos das mudanças inicialmente citadas, como: isolamento social, retirada das atividades físicas executadas no âmbito escolar, adaptação de rotina escolar virtual, entre outras. Segundo o relatório da CONJUVE (2020/2021): “14% da alimentação dos jovens piorou muito, 28% […] piorou um pouco e 4 a cada 10 jovens tiveram alteração no peso (35%)”. Diante dessa problemática a procura pelo serviço do Centro de Atenção Psicossocial Infantojuvenil, no município de Campina Grande, na Paraíba (CAPSi Viva Gente) aumentou 333%, dentre as queixas, foi identificado dificuldades alimentares, seletividade alimentar, transtornos alimentares, obesidade e emagrecimento excessivo. Sendo assim, identificou-se a necessidade de realização de um projeto específico de Nutrição e Transtornos Alimentares, no Centro de Atenção Psicossocial Infantojuvenil (CAPSi Viva Gente) do município de Campina Grande, Paraíba.Promover acompanhamento nutricional para crianças e adolescentes de 06 a 17 anos e 11 meses

Dificuldades alimentares, seletividade alimentar, transtornos alimentares, obesidade e emagrecimento excessivo de Crianças e Adolescentes atendidas no Centro de Atenção Psicossocial (Capsi Viva Gente), em Campina Grande, Paraíba. Sendo assim, identificou-se a necessidade de realização de um projeto específico de Nutrição e Transtornos Alimentares, no Centro de Atenção Psicossocial Infantojuvenil (CAPSi Viva Gente) do município de Campina Grande, Paraíba.

É uma prática de simples aplicação, desde que tenha pelo menos equipe mínima (Nutricionista, Psicólogo e Médico Psiquiatra) especializada em tratamento de transtornos alimentares e seletividade alimentar. E o tempo de execução pode ser estendido devido a crescente do público-alvo depois da pandemia.

Principal

Rafaele Ferreira Rocha

rafaelerocha@hotmail.com

A prática foi aplicada em

Campina Grande

Paraíba

Nordeste

Instituição

Rua Marechal Deodoro da Fonseca, n. 631, Prata

Uma organização do tipo

Instituição pública

Foi cadastrada por

Rafaele Ferreira Rocha

Conta vinculada

A prática foi cadastrada em

02 jun 2023

e atualizada em

14 set 2023

Condição da prática

Concluída

Situação da Prática

Arquivos

Palavras-chave

nenhuma

Você pode se interessar também

Práticas
A importância do trabalho em rede para a efetivação da reinserção social aos dependentes químicos enquanto sujeitos de direitos: observações acerca do eixo reinserção social no Centro de Acolhimento e Atenção Integral Sobre Drogas do município de Cachoeiro de Itapemirim (ES)
Espírito Santo
Práticas
Atuação intersetorial nos casos suspeitos de TEA na primeira infância, um relato de experiência.
Paraíba
Práticas
Explorando as possibilidades: atividade aquática no tratamento de TEA no município de Queimadas – PB
Paraíba
Práticas
Inovação do cuidado em saúde mental no município de São José do Sabugi-PB a partir da prática.
Paraíba
Práticas
Em boas mãos: valorização dos profissionais de saúde e os impactos na proatividade em Queimadas – PB
Paraíba
Práticas
Protocolo de passagem de plantão no serviço residencial terapêutico: um relato de experiência
Paraíba
Práticas
Ressignificando vidas através das artes manuais: uma vivência do CAPS I Umbuzeiro-PB
Paraíba