Olá,

Visitante

Implementação da Planilha de Seguimento de Lesões orais Como Ferramenta para a Coordenação do Cuidado pelas Equipes de Saúde Bucal na Esf do Município de Piraí

A Saúde Bucal do Município de Piraí possui a oferta dos serviços nos três níveis de atenção: atenção básica, média e alta complexidade, sendo que na Atenção Básica possuímos 100% de equipes de Saúde Bucal na estratégia de Saúde da Família desde 2001, caracterizando a estratégia Saúde da Família como porta de entrada do sistema , ordenadora e coordenadora do cuidado.De acordo com a política Nacional de Saúde Bucal, 2004, à atenção básica compete assumir a responsabilidade pela detecção das necessidades, providenciar os encaminhamentos requeridos em cada caso e monitorar a evolução da reabilitação, bem como acompanhar e manter a reabilitação no período pós-tratamento, desenvolvendo ações de prevenção e controle do Câncer de Boca, oferecendo oportunidades de identificação de lesões bucais (busca ativa) seja em visitas domiciliares ou em momentos de campanhas específicas (por exemplo: vacinação de idosos) e acompanhamento de casos suspeitos e confirmados através da definição e, se necessário, criação de um serviço de referência, garantindo-se o tratamento e reabilitação. Considerando a organização da rede de atenção à saúde no município de Piraí, as equipes de Saúde Bucal na Estratégia de Saúde da Família realizam ações contínuas inseridas na rotina das equipes de avaliação da cavidade oral, que acontecem durante as consultas odontológicas, por visitas domiciliares principalmente em pacientes de maior risco de desenvolvimento de lesões orais, como tabagistas, etilistas, pacientes acamados e imunodeprimidos, e campanha de vacinação da gripe como estratégia para ampliar a busca. Realizamos também na Atenção Básica Grupos de Tabagismo, como forma de trabalhar um fator de risco importante para o Câncer de Boca e no Outubro Rosa ações direcionadas a população para dar destaque e divulgar os fatores de risco e a necessidade de diagnóstico precoce para o Câncer de Boca.Para fortalecer o diagnóstico precoce de lesões orais, sejam lesões benignas, potencialmente cancerizáveis ou lesões malignas, realizamos cursos de capacitação para os dentistas da Atenção básica em parceria com Instituições de Ensino da Região, discussão de casos clínicos nas reuniões entre equipes de Saúde da Família e Centro de Especialidades Odontológicas, Matriciamento em Cirurgia Oral Menor, definição de condutas no protocolo municipal e acesso rápido ao CEO para avaliação e realização de biópsias, pois não possuímos fila de espera para diagnóstico oral.Após a identificação de uma lesão oral suspeita, o dentista de família encaminha o paciente para o CEO através da regulação do SISREG e o atendimento é realizado no máximo em uma semana, e caso seja diagnosticando a necessidade de biopsia esta é realizada imediatamente e o material é enviado para o laboratório de patologia oral conveniado. Após o diagnóstico a continuidade do cuidado é garantida através de TFD, principalmente nos casos de câncer de boca e nos casos de lesões benignas realizamos o tratamento e monitoramento no

Problema Central: Deficiência na comunicação da rede nos casos de lesões orais, que prejudicava o monitoramento pela atenção básica e coordenação do cuidado.No município de Piraí constatamos que a partir do encaminhamento de pacientes com lesões orais pelo dentista de Família para o Centro de Especialidades Odontológicas, existia uma demora no retorno das informações para a Atenção Básica, sobre a hipótese diagnóstica, laudo histopatológico, encaminhamento para a Alta Complexidade e orientações de conduta,pois este retorno acontecia apenas através da contra-referência. Sendo que a comunicação da rede restrita a referência e contra-referência, no caso de lesões orais, se apresentava pouco eficiente para a Gestão, que não conseguia monitorar o tempo do diagnóstico e deficiente para a coordenação do cuidado pela Atenção Básica principalmente após o encaminhamento para Fora do Domicílio. Diante deste fato, muitos casos ficavam sem monitoramento pela Atenção Básica e sem o apoio da Gestão para otimizar o fluxo do paciente na Rede.

Acreditamos que muitos municípios tem dificuldade de gerenciar casos de lesões orais, principalmente casos de câncer de Boca, e a implementação de práticas como esta, que são simples podem auxiliar na agilidade da condução dos casos.Recomendamos utilizar uma planilha de excel simples e ajustar nas colunas o será necessário de informação. E compartilhar por email ou em rede.

Principal

Lívia de Paula Valente Mafra

liviavmafra@gmail.com

A prática foi aplicada em

Piraí

Rio de Janeiro

Sudeste

Instituição

Rua Moacyr Barbosa numero 73

Uma organização do tipo

Instituição pública

Foi cadastrada por

Lívia de Paula Valente Mafra

Conta vinculada

02 jun 2023

e atualizada em

14 set 2023

Seu Período de Execução foi de

até

Condição da prática

Concluída

Situação da Prática

Arquivos

Palavras-chave

nenhuma

Você pode se interessar também

Práticas
A Incorporação da Busca Ativa Vacinal À Estratégia Vacina Mais Campina: Rumos da Intersetorialidade
Práticas
Estratégias para Aumentar a Cobertura Vacinal no Município de Custódia-pe: Integrando o s Setores Públicos
Práticas
Estratégias da Campanha de Vacinação de Covid-19 Como Guia para o Fortalecimento das Ações de Resgate das Coberturas Vacinais de Rotina
Práticas
Projeto Vacinando Com natal
Práticas
Programa Imuniza Siriri. Vacina Mais Perto de Você!
Práticas
Declaração de Vacinação Atualizada – Dva uma Estratégia Intersetorial para a Melhoria da Cobertura Vacinal de Uruaçu-go: Relato de Experiência
Práticas
Vacinação em Massa Contra a Covid-19 na Fronteira Brasil/bolívia no Município de Corumbá-ms, 2021: Desafios e Conquistas
Práticas
Ação Extramuro de Imunização À População Trabalhadora da Zona Urbana e de Áreas de Difícil Acesso no Município de Comodoro-mt
Práticas
Vacinação em Dia! Estratégias para Recuperação das Coberturas Vacinais no Município de Vitória-es
Práticas
Vacinação Itinerante e Ações nas Escolas do Município