Olá,

Visitante

Equipe de Imunização e Estratégia Saúde da Família: Fortalecimento da Vacinação no Primeiro Ano de Vida

Categoria não especificada

O município de Itapiratins possui uma população de 3.936 habitantes, possui 2 áreas de ESF, 1 UBS, 1 sala de vacina, 12 microáreas, cobertura de 100% da Atenção Básica. A sala de vacina possui uma geladeira, um computador com acesso à internet. A busca ativa dos faltosos é realizada pela equipe de imunização, em conjunto com a ESF principalmente pelos Agentes Comunitários de Saúde (ACS). A coordenação da imunização é acumulada pela mesma enfermeira da ESF. A aplicação das vacinas é feita por duas técnicas de enfermagem exclusivas da sala de vacina, antes tínhamos somente uma, com a introdução da vacina COVID, foi inserido mais uma técnica de enfermagem para vacinação. A Pesquisa Nacional sobre cobertura vacinal relata sobre o número insuficiente de profissionais de saúde para atender a demanda, e sobrecarga de trabalho, e realmente o que mais temos em nossa região são salas de vacina somente com um profissional para vacinar, registrar e ainda fazer busca de faltosos. Ante o exposto, observou-se em nosso local de trabalho que é de grande importância o monitoramento das vacinas das crianças até 15 meses de vida. A pesquisa revela a queda do índice de cobertura vacinal, principalmente nos anos da pandemia, o que não foi diferente da situação vacinal do município. No ano de 2022, utilizamos algumas estratégias que vão desde a gravidez, mantemos o vínculo gestante e ESF, verificação do cartão de vacina do RN, cadastro individual pelo ACS, inserção do RN na planilha e aprazamento das vacinas de 2 meses, verificação no E-SUS dos registros de vacina e atualização na planilha. Da rotina na UBS, semanalmente tem reunião com os ACS onde é informado e atualizado sobre o comparecimento das crianças e os faltosos. O trabalho da Imunização juntamente com a ESF através dos ACS fez com que em 2022 atingíssemos a meta de todas as vacinas até 15 meses de vida. Também traçamos outras estratégias: vacinação extramuro, exigência de declaração de vacina no ato da matrícula, horários estendidos da sala de vacina. Os dados da pesquisa, vai de encontro aos problemas mais encontrados em nosso município, como a hesitação vacinal da vacina covid, principalmente a pediátrica, falta de integração entre as atividades e serviços da UBS para encaminhamento dos pacientes para sala de vacina, desabastecimento de algumas vacinas, e poucas ações de divulgação. Em virtude disso o propósito da nossa equipe é investir em treinamentos sobre imunização, voltados para os trabalhadores da saúde. Foi de extrema necessidade o levantamento de dados realizados pela pesquisa, espero que os profissionais, principalmente os gestores leiam e tenham um olhar diferenciado da sala de vacina. Recomendamos que os profissionais das UBS do país sejam capacitados sobre a importância da imunização, e terem a sensibilidade de orientar as pessoas e encaminharem à vacinação, com a união de todos os setores e trabalhando em conjunto com a informação verdadeira poderemos vencer as desinformações sobre vacinas.

Após análise dos resultados da pesquisa, os problemas mais relevantes que impedem o aumento das coberturas vacinais em ordem de prioridade no município são: • Hesitação e recusa vacinal da vacina covid, principalmente pelos pais que não aceitam vacinarem as crianças, em Itapiratins é grande a recusa da vacina covid pediátrica, porém as vacinas de rotina a criança são bem aceitas. As principais justificativas dos pais/responsáveis vai de encontro a pesquisa IMUNIZASUS, que são sobre o medo dos efeitos adversos e a percepção de que os imunizantes não são eficazes. • Falta de integração entre as atividades e serviços na UBS do município, como nas consultas com o médico, enfermeiro, psicólogo, fisioterapia e demais, a pesquisa traz a importância de evitar oportunidades perdidas de vacinação, que se caracterizam pelo fato de o indivíduo ser atendido em outros setores da unidade de saúde sem que seja verificada sua situação vacinal ou haja encaminhamento à sala de vacinação; • Desabastecimento de algumas vacinas como a tríplice viral; • Poucas ações de comunicação/divulgação nas mídias de campanhas de vacina voltadas à população, principalmente da vacina covid.

Assim, uma estratégia apontada que será de grande importância em nosso município para minimizar a atitude hesitante e melhorar a comunicação será investir em treinamentos sobre imunização, voltados para os trabalhadores da saúde, para que eles possam ampliar o conhecimento e transmiti-lo com mais confiança para seus pacientes, pois foi reforçado na pesquisa sobre o potencial dos profissionais de saúde em incentivar seus pacientes a aderirem a vacinação, a confiança nos médicos e na ciência foi associada a maior aceitação dos imunizantes. Que essa ação vire rotina e que encaminhem os pacientes para sala de vacina. Que seja rotina da UBS também que os pacientes levem seus cartões de vacina; E orientaremos os pais trazerem também os seus próprios cartões de vacina, não somente o da criança para sala de vacina;

Foi de extrema necessidade o levantamento de dados realizados pela pesquisa, espero que os profissionais, principalmente os gestores leiam e tenham um olhar diferenciado da sala de vacina, que muito tem a melhorar. A Imunização é um grande desafio temos que trabalhar muito com as informações que chegam às pessoas, fazer estratégias voltadas para levar conhecimentos dos benefícios e segurança da vacina. Recomendamos que os profissionais de toda a UBS sejam capacitados sobre a importância da imunização, e terem a sensibilidade de orientar as pessoas e encaminharem à vacinação, com a união de todos os setores e serviços de saúde trabalhando em conjunto com a informação verdadeira e levando informações que gerem segurança às pessoas, poderemos vencer as desinformações sobre vacinas.

Principal

AMANDA SUELEM NASCIMENTO DE SOUSA

Coautores

Cleuza Conceição Feitosa Raimunda Reis Fonseca Daniel Costa Fragoso Jose Andrade Tavares Juaneide Fonseca da Silva Márcia Queiroz de Miranda Chaves Raimunda Bezerra Costa Filha Raimunda Reis Fonseca Raimundo Nonato Botelho Dourado Suelma Fonseca da Silva Dourado Valéria Queiroz da Silva Jose Maria Coelho Iranilton Santana Ribeiro Marcela Bergamini Ferreira Pinheiro Rodrigues Wanderson Alves Barbosa Karine Souza Pinheiro

A prática foi aplicada em

Região

Instituição

Endereço

Uma organização do tipo

Instituição Privada

Foi cadastrada por

Conta vinculada

ideiasus@gmail.com

A prática foi cadastrada em

23 dez 2023

e atualizada em

23 dez 2023

Condição da prática

Concluída

Situação da Prática

Arquivos

Palavras-chave

Você pode se interessar também

Práticas
Ações intersetoriais: integrando estratégias no combate às arboviroses na cidade de Belém do Brejo da Cruz (PB)
Paraíba
Práticas
Os caminhos para alcançar os indicadores de desempenho do Previne Brasil pelo município de Bom Jesus (PB)
Paraíba
Práticas
Re(h)abilitando a interdisciplinaridade e o cuidado na atenção primária à saúde
Paraíba
Práticas
ADESÃO DAS GESTANTES AO PRÉ-NATAL ODONTOLÓGICO: UMA PROPOSTA DE INTERVENÇÃO NA ATENÇÃO PRIMÁRIA À SAÚDE
Paraíba
Práticas
A PRÁTICA DE PRIMEIROS SOCORROS NO CONTEXTO DE UM CURSO TÉCNICO PARA AGENTES COMUNITÁRIOS DE SAÚDE
Paraíba
Práticas
Vacinação nos espaços de formação: experiência no 2º Congresso Nordestino de Pediatria
Paraíba