Olá,

Visitante

Em Colinas, Zé Gotinha Usa Capa – Estratégias para Vacinação na Primeira Infância

Categoria não especificada

Colinas, cidade pequena, localizada no interior do Rio Grande do Sul, se destaca por boas coberturas vacinais, especialmente na faixa etária infantil. Para atingir bons índices de vacinação, Colinas executa uma serie de estratégias para captar o público infantil, que iniciam já na gestação, através de uma potente política pública municipal, perpassando por qualificações e revisões dos processos de trabalho e finalizando com ações intersetoriais que contam com o apoio das escolas do município, que atuam dentro do Programa Colinas 1000 Dias e através de ações do PSE, culminando na sensibilização do olhar da equipe de saúde para a primeira infância.

O negacionismo e a resistência às vacinas de forma geral tem sido uma dura realidade do SUS nos últimos anos. A questão atinge não somente adultos como também crianças, refletindo em baixas coberturas vacinais a nível, inclusive referente a imunizantes do calendário básico nacional. Contribuindo com esse cenário, sabe-se que o momento da vacina é desconfortável para crianças e para seus cuidadores, seja por medo da dor, pela falta de estímulos e conversas sobre o assunto entre pais e filhos ou seja pela falta de sensibilidade na condução deste momento pelos profissionais de saúde. Após relatos da equipe de vacinadoras sobre a dificuldade de condução em sala de vacina, inclusive trazendo situações de violência física e psicológica por parte dos responsáveis, a equipe de saúde sugeriu uma série de estratégias focadas no público infantil e suas famílias afim de sustentar os bons índices de vacinação no município e motivar adultos e crianças se vacinarem. As ações sustentadas trouxeram um encantamento pelo posto de saúde por parte das crianças que hoje reconhecem as profissionais de forma carinhosa e não rotuladas de forma caricata pelo jaleco branco. Com isso, os familiares expressam mais tranquilidade, confiança e estão mais abertos a educação em saúde e esclarecimentos em relação as imunizações, bem como as crianças, que entendem a função das vacinas de forma lúdica e positiva.

Desde o início do Programa Colinas 1000 Dias – Para Mudar uma Vida Inteira, projeto que busca acompanhar a gestante, o parceiro e o bebê de forma integral, garantindo o pleno desenvolvimento da criança, são ofertadas para a equipe ações de sensibilização e qualificações no tema da primeira infância. Os profissionais passaram por oficinas de ludicidade, em que puderam se aproximar de uma abordagem mais lúdica em relação comunicação, vocabulário, materiais e ferramentas que podem ser usadas nas salas de vacina. A partir daí, foram adquiridos adesivos, tatuagens removíveis do Zé Gotinha, medalhas da coragem, bolhas de sabão, pulseiras neon e livros de contos infantis, em especial para as crianças que completam a imunização para COVID-19. Um ponto importante para que Colinas atinja boas coberturas vacinais é vínculo estabelecido entre equipe e as famílias, que inicia ainda na gestação. Com isto, tanto a equipe de enfermagem quanto os agentes comunitários de saúde têm facilidade em realizar a sensibilização e a busca ativa das crianças. Além disso, a Unidade Básica de Saúde conta com uma sala permanente de acolhimento infantil que fica estrategicamente localizada em frente a sala de vacinas. A sala é colorida, bonita, possui livros, brinquedos e materiais para desenho se tornando um ambiente aconchegante para a criança que mergulha em local acolhedor e divertido, servindo de apoio nos momentos pré e pós vacina. Outra estratégia que tem aproximado as crianças da equipe foi a oferta de um curso de pintura artística facial à equipe de vacinadoras que atuam em ações dentro das escolas, com a intenção de desmistificar a relação destas profissionais com a dor. A equipe interagindo com as crianças em situações com contexto mais leve e dentro do ambiente que lhes é familiar fortalece a imagem dos profissionais, indo além do jaleco branco. Inclusive, a escola atua diretamente como parceira em ações intersetoriais contribuindo com a equipe de saúde, disseminando informes e convites relacionados a campanhas de vacinação pela agenda dos alunos. O atestado do status vacinal dos alunos se tornou documento obrigatório para a matrícula e rematrícula, levando as famílias a procurarem a Unidade de Saúde para atualizar a caderneta das crianças com as vacinas obrigatórias do calendário nacional, fortalecendo ainda mais importância da imunização. Outra estratégia que tem gerado ótima adesão são as oficinas quadrimestrais do Programa Colinas 1000 Dias, que ocorrem aos sábados na parte da manhã ou da tarde. Nestes momentos, a equipe cria atividades temáticas para pais e crianças a fim de buscar estimulação e fortalecimento do vínculo entre pais e filhos. A equipe recebe as famílias com muita alegria usando fantasias, a UBS está decorada com balões e fantoches e a sala de vacinas está aberta, aproveitando o clima festivo para realizar a atualização vacinal das crianças e seus cuidadores, sejam eles pais ou até mesmo avós. A ação com as fantasias foi iniciada durante a pandemia, em parceria com a EMEI, onde foi organizado um Drive Thru de vacinação contra a Influenza na frente da escola, a fim de tirar as crianças de suas casas e visitar a EMEI, ambiente de intenso convívio até então e se vacinarem com alegria e carinho.

Através dos dados do SIPINI, Colinas apresenta boa cobertura vacinal nas campanhas de imunização infantil e em especial vacinas do calendário básico nacional, dado que também pode ser monitorado através dos indicadores do Previne Brasil. Através de ações que partem tanto da saúde, quanto intersetorialmente, graças a uma boa comunicação entre escolas e Unidade Básica de Saúde, é possível atingir toda a comunidade escolar. O Programa Colinas 1000 Dias também traz luz à primeira infância, com oportunidades de reflexão para aprimorar o atendimento e condução das crianças no serviço de saúde, em especial na sala de vacinas. A equipe de saúde, enquanto atenção primária é coordenadora do cuidado e é de extrema importância que esteja sensibilizada e empática à primeira infância, estreitando o vínculo e a confiança entre crianças, famílias e profissionais. O Programa também traz o benefício de construir uma relação com as famílias desde o início da gestação, seja através de consultas multiprofissionais ou através dos grupos e oficinas, fazendo com que os cuidadores sejam incentivados a vacinar seus filhos, pois entendem desde logo a importância deste ato. A maior fragilidade deste processo é a garantia da continuidade do projeto e da oferta de sensibilizações e discussões sobre o tema da infância, já que muitos destes movimentos são apoiados pela gestão. Como adultos, não estamos treinados a perceber o mundo com o olhar das crianças e quando caímos na rotina do dia a dia, tendemos a automatizar os processos de cuidado, deixando o lado acolhedor e carinhoso em segundo plano. Colinas tem trabalhado na construção do Plano Municipal da Primeira Infância (PMPI) e busca com essa ferramenta legal consolidar e manter a sustentabilidade de ações com foco nas crianças também na área da saúde, reforçando e garantindo a prioridade absoluta da infância.

Principal

Ana Paula Jasper

Coautores

Angelita Herrmann, Eliane Janice Neuhaus, Roseli Alônia Mohr, Camila Zang, Eliane da Costa, Jessica Schmidt

A prática foi aplicada em

Região

Instituição

Endereço

Uma organização do tipo

Instituição Privada

Foi cadastrada por

Conta vinculada

ideiasus@gmail.com

A prática foi cadastrada em

23 dez 2023

e atualizada em

23 dez 2023

Condição da prática

Concluída

Situação da Prática

Arquivos

Palavras-chave

Você pode se interessar também

Práticas
ADESÃO DAS GESTANTES AO PRÉ-NATAL ODONTOLÓGICO: UMA PROPOSTA DE INTERVENÇÃO NA ATENÇÃO PRIMÁRIA À SAÚDE
Paraíba
Práticas
A PRÁTICA DE PRIMEIROS SOCORROS NO CONTEXTO DE UM CURSO TÉCNICO PARA AGENTES COMUNITÁRIOS DE SAÚDE
Paraíba
Práticas
Vacinação nos espaços de formação: experiência no 2º Congresso Nordestino de Pediatria
Paraíba
Práticas
A (in) visibilidade de quem está em situação de rua: caminhos possíveis para cuidado em saúde
Paraíba
Práticas
Título: Autismo – uma causa municipal.
Paraíba
Práticas
Do ambulatório LGBTQIAPNB+ ao Café com Diversidade: garantindo acesso e fortalecimento de vínculos
Paraíba
Práticas
Atuação intersetorial nos casos suspeitos de TEA na primeira infância, um relato de experiência.
Paraíba
Práticas
Programa Bolsa Família: processo formativo para profissionais da atenção primária
Paraíba
Práticas
As PICS como ferramenta potencializadora no cuidado a saúde do trabalhador
Paraíba