Olá,

Visitante

Dia D – a Implantação de Dias de Mobilização Municipal e Flexibilização de Horários como Estratégia para Melhoria Das Coberturas Vacinais

Categoria não especificada

Após um período difícil de pandemia, vimos as nossas coberturas vacinais diminuírem gradativamente; com o foco totalmente voltado a notificação, tratamento e vacinação relacionadas ao Coronavírus, as ações rotineiras para mantermos a cobertura vacinal da nossa população acabaram ficando de lado. Visualizamos ainda uma maior dificuldade em mantermos a vacinação de rotina principalmente das crianças menores de 1 ano de vida em dia, visto que a população adulta teve maior acesso, principalmente conjuntamente com a vacinação contra Covid-19. Passado o período mais tumultuado e difícil dentro do serviço de saúde, vimos a necessidade de implantar novas estratégias para melhoria das nossas coberturas vacinais, principalmente em relação a vacinação das crianças e adolescentes, foco principal, mas não o único da nossa nova estratégia de imunização.

Passamos a priorizar o envio de informações referentes a vacinação nos grupos de Whatsapp criados pelas Agentes de Saúde em seus territórios, com informações relacionadas à baixa cobertura vacinal e também a reintrodução de doenças imunopreviníveis em nosso País, e quanto isso coloca em risco a saúde da nossa população. Uma das principais queixas dos Pais e/ou responsáveis pelas crianças e adolescentes que surgiram após essa ação estava o horário de funcionamento da sala de vacinas que se enquadra dentro do horário comercial e escolar, dificultando assim a vinda dos mesmos no período correto para a vacinação. Além da dificuldade em sair do trabalho ou da escola o medo de expor seus filhos ao coronavírus também foi relatado por muitos, visto que a Unidade estava sempre com um alto fluxo de pacientes no horário normal de expediente. Após a análise dessas dificuldades levantadas através das nossas Agentes de Saúde, e dos dados relacionados a Pesquisa ImunizaSUS, a equipe de Imunização em conjunto com a Secretaria de Saúde do Município optou por disponibilizar horários diferenciados para a vacinação da população, para conseguir atualizar o esquema vacinal de acordo com o Calendário Nacional de Imunização.

Durante as campanhas nacionais de Imunização são realizados os dias de mobilização, conhecidos por “Dia D”, sendo em nenhum outro momento pensado nessa estratégia para melhoria das coberturas vacinais, visto que antes da pandemia as coberturas vacinais encontravam-se dentro do preconizado. Primeiramente foi realizado um levantamento de dados, utilizando o e-sus e o e-gestor para o levantamento das crianças e adolescentes do Município, para após comparar com os dados de vacinação retirados do si-pni web e verificar a situação vacinal dessa população. Após esses dados foi realizado contato individual com os Pais e/ou responsáveis para a conferência da caderneta de vacinação e posterior aplicação das doses necessárias. Para facilitar o acesso passamos a realizar dias de mobilização Municipais a cada dois meses, sendo os mesmos realizados em um sábado com horário das 08:00 às 17:00 horas; nos meses em que não realizamos essa ação, disponibilizamos horários estendidos até as 19:00 horas em dois dias distintos no mês. Em cada dia de mobilização vacinamos em torno de 70 pessoas e nos horários estendidos uma média de 30 pessoas, de todas as faixas etárias, mas na sua grande maioria crianças e adolescentes. A melhora nas coberturas vacinais após a disponibilização dessa nova estratégia conjunta entre a atenção básica e o setor de imunização é visível conforme os dados abaixo, onde citamos algumas informações disponibilizados no si-pni web da população menor de 1 ano: BCG: 2021 – 70,59% 2022 – 113,79%; Hepatite B: 2021 – 94,12% 2022 – 110,34%; Pentavalente: 2021 – 94,12% 2022 – 110,34%; Pólio Inativada: 2021 – 94,12% 2022 – 113,79%; Pneumocócica 10: 2021 – 91,18% 2022 – 100%; Rotavirus: 2021 – 91,18% 2022 – 100%; Meningocócica C: 2021 – 94,12% 2022: 113,79% e Febre Amarela: 2021 – 76,47% 2022 – 96,55%. Na vacinação da Tríplice bacteriana e Pólio aos 15 meses e 4 anos também houve uma melhora considerável como podemos ver abaixo: Triplice Bacteriana (15 meses): 2021 – 88,24% 2022 – 103,45%; Triplice Bacteriana (4 anos): 2021 – 104,35% 2022 – 141,67%. Pólio (15 meses): 2021 – 91,18% 2022 – 106,9%; Pólio (4 anos): 2021 – 113,04% 2022 – 145,83%

Ainda encontramos resistência no que se refere a vacina do HPV e Meningocócica ACWY dentre os adolescentes e para solucionar esse problema estamos organizando palestras de orientação referente a importância das vacinas e autorização dos Pais e/ou Responsáveis para a realização da vacinação em ambiente escolar, buscando alcançar 100% de cobertura também nessa população. Hoje podemos perceber que as coberturas vacinais em nosso Município se encontram em melhoria constante, e devido ao resultado dessa nova estratégia passamos a manter como ação definitiva na Secretaria de Saúde, os dias Municipais de Mobilização, bem como os dias com horário estendido, com foco no Calendário Nacional de Imunização, diminuindo dessa forma a exposição da nossa população as doenças imunopreviníveis. Essa é uma ação de fácil implantação em todos os Municípios demandando apenas disponibilidade de recursos humanos e financeiros para o pagamento das horas aos profissionais envolvidos nas ações.

Principal

MARCELLY CRISTINA DEITOS VICINI

A prática foi aplicada em

Região

Instituição

Endereço

Uma organização do tipo

Instituição Privada

Foi cadastrada por

Conta vinculada

ideiasus@gmail.com

A prática foi cadastrada em

23 dez 2023

e atualizada em

23 dez 2023

Condição da prática

Concluída

Situação da Prática

Arquivos

Palavras-chave

Você pode se interessar também

Práticas
Caminhos estratégicos da APS frente a cobertura vacinal no município de Bernardino Batista
Paraíba
Práticas
Ampliando leque da rede: fortalecimento dos vínculos entre equipes e escola.
Paraíba
Práticas
Relato de experiência: humanização na atenção ao usuário no pronto atendimento de Pilar (PB))
Paraíba
Práticas
Implantação de laserterapia na rede de atenção à saúde de Pilar (PB): relato de experiência
Paraíba
Práticas
Paciente protagonista de sua terapia: o cuidado farmacêutico com pacientes atendidos no CAPS de Pilar (PB)
Paraíba
Práticas
Atenção e cuidado ao paciente portador de feridas no SUS em Pilar (PB)
Paraíba
Práticas
Quando a saúde vai além dos muros das UBS
Rio de Janeiro