Olá,

Visitante

Desmitificando a Vacinação de Crianças e Adolescentes no Município de Franco da Rocha

Categoria não especificada

O Brasil é referência mundial quando se fala em vacinação. Isso se deve a criação do Programa Nacional de Imunização em 1973, após muita resistência por parte da sociedade. Atualmente, o cenário científico é muito mais confiável, mas ainda é possível encontrarmos movimentos anti-vacinas, consequentemente refletindo na cobertura vacinal, e não só no indivíduo não vacinado, mas em toda a população. O Programa Nacional de Imunizações (PNI) brasileiro oferece, atualmente, acesso universal e gratuito para os imunobiológicos, incluindo 19 vacinas no calendário de rotina, para todas as faixas etárias, sendo considerado um dos maiores do mundo. Há vacinas destinadas a todas as faixas etárias e campanhas anuais para atualização da caderneta de vacinação. O município de Franco da Rocha tem acompanhando a tendência Nacional da cobertura vacinal, e vem registrando queda na cobertura vacinal do calendário básico de vacinação para crianças e adolescentes, devido a vários motivos: movimento anti-vacinas; notícias falsas sobre efeitos adversos; falta de tempo dos responsáveis de ir até a sala de vacinação, entre outros. Em 2021 a cobertura vacinal foi de apenas 69,91% o que causou preocupação, pois nossa região está em alerta máximo pela possibilidade de reintrodução da poliomielite, por termos em municípios vizinhos refugiados de países endêmicos. Diante do risco, foi criado como estratégia para aumentar a cobertura vacinal, a busca ativa das crianças e adolescente nas escolas, tendo como objetivo identificar as situações de vulnerabilidades e risco social. A proposta do Projeto de Busca Ativa de faltosos nas escolas foi realizado de forma intersetorial, reunindo representantes de diferentes áreas, como as Secretarias de Saúde, Educação e Comunicação. A estratégia visou contribuir com a busca de crianças menores de 14 anos matriculados nas Escolas Municipais e Estaduais do município de Franco da Rocha que não foram vacinadas ou estavam com as vacinas atrasadas, e tomar medidas para que elas recebessem todas as doses, aumentando a cobertura vacinal e diminuindo as chances de circulação de doenças evitáveis. A ação justificou-se pela redução da cobertura vacinal em crianças de 0-14 anos e foi realizada no período de maio/2022 a julho/2022. Foram consideradas as vacinas preconizadas pelo Calendário Estadual de imunização para menores de 14 anos.

No últimos anos fatores como falta de investimento em pesquisas e desenvolvimento de vacinas , isolamento social decorrente da pandemia por Covid e o aumento das fake News trouxeram consequências gravíssimas a população, refletindo diretamente na cobertura vacinal. De acordo com os dados do DATASUS verificou-se que no município de Franco da Rocha a cobertura vacinal em 2021 foi de apenas 69,91%, com isso foram elaboradas estratégias eficientes para quebra desta cadeia de desinformações. A busca ativa de vacinação em atraso nas escolas e o trabalho de divulgação de informações confiáveis foram fundamentais para o aumento da cobertura vacinal em 2022 (82,96 %, para as vacinas do calendário básico de imunização). O desafio foi grande em envolver diversos setores no combate às fake News e reconquistar a confiança, em prol da vacinação. Os resultado foram positivos e a ação já está prevista para se repetir em 2023.

Para diminuir o número de faltosos e aumentar a cobertura vacinal , a Secretaria Municipal de Saúde por meio da Vigilância Epidemiológica e a da Atenção Básica, em parceria com a Secretária Municipal da Educação e Secretaria Estadual de Educação, desenvolveu como estratégia a busca ativa nas escolas municipais com crianças menores de 6 anos de idade e com menores de 14 anos nas escolas estaduais. Foi solicitado aos pais caderneta de vacinação e termo de autorização. Após análise, realizou-se a atualização e aplicação das vacinas faltosas. Foram visitadas 38 escolas municipais e 16 estaduais durante os meses de maio, junho e início de julho do ano de 2022 com profissionais da atenção básica e vigilância epidemiológica. Neste período também foi realizado uma parceria entre Secretária de Saúde e Comunicação onde foram confeccionados vídeos divulgados em redes sociais e Outdoors alertando sobre a importância da vacinação contra a COVID 19 nas crianças e adolescentes. Os outdoors foram fixados em pontos estratégicos da cidade, foram distribuídos panfletos informativos nas escolas municipais por profissionais da vigilância em saúde e para sensibilizar as crianças foram desenvolvidas atividades de integração com conteúdos relacionados a importância da vacinação utilizando personagens do desenho Frozen ( Disney). Também foram editados vídeos enfatizando a importância da vacinação contra Covid e compartilhados no site oficial da prefeitura e redes sociais como facebook e instagram .

A ação de busca ativa e vacinação nas escolas estaduais e municipais mostrou-se eficiente para elevar a cobertura vacinal de 69,91% em 2021 para 82,96% em 2022 . Atualmente, muitas pessoas recusam a vacinação por desinformação ou informações errôneas. Isso reflete diretamente na cobertura vacinal e no surgimento de casos de doenças já erradicadas e que poderiam ser simplesmente prevenidas através da vacinação. A atenção primária à saúde é essencial na sensibilização da população. O processo de vacinação nas escolas municipais é extremamente importante pois estamos vivendo um processo de descrédito dos benefícios da imunização, desde antes da pandemia e agravada com ela, especialmente, por meio de Fake News e movimentos antivacinas que procuram desabonar esse processo, chamado de hesitação vacinal. As pessoas passam a acreditar mais nos supostos riscos das vacinas do que em seus benefícios . A Prefeitura tem feito seu papel e vem colocando as vacinas nos postos de saúde, fazendo campanhas educativas com outdoor, vídeos nas redes sociais, impressos com orientações, personagens nas escolas e dias festivos como o Dia D para chamar a atenção da população aos sábados e, além disso, também faz a busca ativa nas escolas e creches, a fim de tornar mais conveniente para os pais, já que muitos não têm tempo durante a semana por trabalharem o dia todo. Doenças como poliomielite, sarampo e meningite causam mortes, por isso é necessário aumentarmos a cobertura vacinal. O objetivo é voltar ao patamar de 95% das crianças adequadamente vacinadas.

Principal

Thaís Marquês Lopez Rivera

Coautores

Ana Paola Mandri , Rosemeire Castanha

A prática foi aplicada em

Região

Instituição

Endereço

Uma organização do tipo

Instituição Privada

Foi cadastrada por

Conta vinculada

ideiasus@gmail.com

A prática foi cadastrada em

23 dez 2023

e atualizada em

23 dez 2023

Condição da prática

Concluída

Situação da Prática

Arquivos

Palavras-chave

Você pode se interessar também

Práticas
Título: Autismo – uma causa municipal.
Paraíba
Práticas
Do ambulatório LGBTQIAPNB+ ao Café com Diversidade: garantindo acesso e fortalecimento de vínculos
Paraíba
Práticas
Atuação intersetorial nos casos suspeitos de TEA na primeira infância, um relato de experiência.
Paraíba
Práticas
Programa Bolsa Família: processo formativo para profissionais da atenção primária
Paraíba
Práticas
As PICS como ferramenta potencializadora no cuidado a saúde do trabalhador
Paraíba
Práticas
Humanização na prática do cateterismo vesical de demora na atenção básica.
Paraíba
Práticas
Metodologias ativas no processo de atualização de profissionais de saúde: relato de experiência.
Paraíba
Práticas
Práticas integrativas em um grupo tereapêutico “equilíbrio das emoções”
Paraíba