Olá,

Visitante

A Implantação do Pré-Natal Masculino Como Estratégia de Acesso e Acolhimento do Homem na Atenção Básica

FINALIDADE DA EXPERIÊNCIA:Implantar na Atenção Básica o protocolo de Pré-Natal Masculino como estratégia de acesso e acolhimento do homem aos serviços de prevenção e promoção da saúde no SUS.DINÂMICA E ESTRATÉGIAS DOS PROCEDIMENTOS USADOS:- Levantamento do perfil epidemiológico das gestantes que realizam pré-natal no município

Desde a implantação da Política Nacional de Atenção Integral à Saúde do Homem (PNAISH), em 2009, que já considerava a necessidade de organizar uma rede de atenção à saúde que garantisse uma linha de cuidados integrais voltada para a população masculina e, principalmente, apoiasse ações e atividades de promoção de saúde para facilitar e ampliar o acesso aos serviços de saúde para o homem, os municípios vêm lançando estratégias para promover atenção e prevenir agravos a esta população, que segundo as estatísticas, apresenta altos índices de morbimortalidade que representam verdadeiros problemas de Saúde Pública no Brasil.Os desafios a superar são imensos, a começar pelas causas externas de mortalidade, onde o predomínio dos óbitos do sexo masculino é devastador. No Brasil, a violência, por exemplo, vitima no geral o dobro de homens em relação às mulheres, e ao triplo, se considerarmos a faixa de 20 a 39 anos. Enquanto isso, de cada cem óbitos em acidentes de transporte terrestre, oitenta e dois são de homens, em geral jovens. Os homens são responsáveis por pelo menos seis de cada dez óbitos por doenças do aparelho circulatório e, no conjunto, esta é uma faixa etária em que a mortalidade masculina é pelo menos o dobro da feminina. Até a esperança de vida ao nascer já atingiu a média de 76,71 anos para mulheres e 69,11 para homens, um indicador cuja melhoria está ligada diretamente à elevação da expectativa de vida dos homens.Vários estudos comparativos têm comprovado que os homens são mais vulneráveis às doenças graves e crônicas do que as mulheres, além de morrerem mais precocemente e não buscarem, como as mulheres, os serviços de atenção básica, adentrando ao sistema de saúde, normalmente pela atenção especializada ou pela urgência/emergência. Muitos agravos poderiam ser evitados caso os homens realizassem, com regularidade, as medidas de prevenção primária, mas dois grupos principais de determinantes se estruturam como barreiras entre o homem e os serviços e ações de saúde: as sócio-culturais, relacionadas aos estereótipos de gênero, onde o homem, provedor, julga-se invulnerável, o que acaba por contribuir para que cuide menos de si mesmo e se exponha mais às situações de risco

A integração da política de Saúde do Homem com outras diretrizes políticas é de extrema importância para que o objetivo final, o cuidado masculino, seja contemplado tanto em acesso quanto em assistência à saúde. Assim, a implantação do Protocolo de Pré-Natal Masculino promove aos homens maior aceitação de uma atenção preventiva, já que estes estão mais sensíveis à chegada do bebê

Principal

Fabio de Mello

fabioenf@hotmail.com

A prática foi aplicada em

Santa Terezinha de Itaipu

Paraná

Sul

Instituição

R. João XXIII, 144

Uma organização do tipo

Instituição pública

Foi cadastrada por

Fabio de Mello

Conta vinculada

A prática foi cadastrada em

09 ago 2021

e atualizada em

14 set 2023

Condição da prática

Concluída

Situação da Prática

Arquivos

Palavras-chave

nenhuma

Você pode se interessar também

Práticas
ADESÃO DAS GESTANTES AO PRÉ-NATAL ODONTOLÓGICO: UMA PROPOSTA DE INTERVENÇÃO NA ATENÇÃO PRIMÁRIA À SAÚDE
Paraíba
Práticas
A PRÁTICA DE PRIMEIROS SOCORROS NO CONTEXTO DE UM CURSO TÉCNICO PARA AGENTES COMUNITÁRIOS DE SAÚDE
Paraíba
Práticas
Programa Bolsa Família: processo formativo para profissionais da atenção primária
Paraíba
Práticas
Humanização na prática do cateterismo vesical de demora na atenção básica.
Paraíba
Práticas
Metodologias ativas no processo de atualização de profissionais de saúde: relato de experiência.
Paraíba
Práticas
Incluir e apreender: parceria entre saúde e educação no acompanhamento multidisciplinar
Paraíba
Práticas
V amostra Paraíba, aqui tem SUS
Paraíba
Práticas
Autonomia reprodutiva: empoderamento de mulheres em vulnerabilidade através da inserção do DIU
Paraíba