Olá,

Visitante

Uso do Ácido Fólico na Gestação: Avaliação do Consumo e Suplementação em Doutor Severiano

Finalidade das experiência

Analisando o sistema político de saúde do país, é notória a insuficiência da resposta governamental à problemática dos defeitos congênitos no Brasil. Embora os dados nacionais estejam facilmente disponíveis nas bases de dados da saúde, é possível que os mesmos ainda não tenham vindo à tona devido a não viabilização dos responsáveis pelo planejamento e acompanhamento da saúde pública brasileira. Realidade essa que deveria mudar devido ao gasto que as crianças com defeito do tubo neural podem trazer com o aumento do número de internações, tempo de permanência hospitalar, gastos com assistência a saúde, demanda por profissionais de diferentes árease cronicidade dos problemas apresentados. É de suma importância à realização de estudos de base populacional para análise do consumo de ácido fólico a fim de gerar subsídios para elaboração de estratégias governamentais, mais adequadas e eficazes. Destaca-se ainda a necessidade de reeducação alimentar para população brasileira a fim de alimentar para população brasileira a fim de aumentar o consumo de alimentos fontes do ácido fólico como também conscientizar as mulheres em idade fértil que mesmo a gestação não sendo planejada deve ser feito o uso periconcepcional do ácido fólico.

Uma maior incidência de trabalhos nessa área poderia instigar o MS para a criação de uma política de suplementação de ácido fólico no período periconcepcional assim como já existe os programas de suplementação de ferro e vitamina A. Os resultados do presente estudo mostraram que os dados socioeconômicos possuem sim relação com o consumo de alimentos e suplementos fontes de ácido fólico. Outro dado importante é que a preferência pelos alimentos do grupo 1 podem estar relacionados com o excesso de aumento de peso durante a gestação observada na tabela 2, para confirmar essa afirmação seria necessário um estudo quantitativo e qualitativo desses alimentos, levando em consideração em estudos futuros é prevalência de mulheres com doenças celíacas, já que essas não consomem os alimentos fortificado com ferro e ácido fólico, como citado em estudo realizado no ano de 2008, em Brasília/DF. A falta de informação com relação ao uso periconcepcional do ácido fólico e otempo de uso do suplemento pode estar totalmente ligada com o aparecimento não só de defeitos de formação do tubo neural, mas também com outras más formações fetais, e isso pode ser objeto para estudos futuros. A criação de um programa governamental de uso periconcepcional de ácido fólico, assim como existe o programa nacional de suplementação de ferro e vitamina A, seria uma ótima estratégia governamental par diminuir os casos de DTN no Brasil, orientações nas consultas de rotina e nos exames citopatológicos para as mulheres em idade fértil também poderia surtir algum efeito, incentivando o consumo de ácido fólico e mudança nos hábitos alimentares mesmo a gestação não sendo planejada.

Principal

Celiza Mayara Garcia Soares

smsdrseveriano@rn.gov.br

A prática foi aplicada em

Doutor Severiano

Rio Grande do Norte

Nordeste

Instituição

Rua Padre Tertuliano, nº21 – Centro.

Uma organização do tipo

Instituição Privada

Foi cadastrada por

Celiza Mayara Garcia Soares

Conta vinculada

11 set 2016

e atualizada em

12 dez 2023

Seu Período de Execução foi de

até

Condição da prática

Concluída

Situação da Prática

Arquivos

Palavras-chave

nenhuma

Você pode se interessar também

Práticas
Objeto de Aprendizagem Sobre o Calendário Vacinal de Pessoas Vivendo com Hiv/Aids para Profissionais de Saúde
Rio Grande do Sul
Práticas
Telemedicina: o Telediagnóstico de Espirometria Como Estratégia de Fortalecimento da A.P.S.
Rio de Janeiro