Olá,

Visitante

Projeto Caça ao Piolho – Um Problema de Saúde e Educação.

FINALIDADE DA EXPERIÊNCIA:Realizar o tratamento das crianças com pediculose capilar, e principalmente, sensibilizar as crianças e familiares através da educação em saúde, quanto a importância da higiene corporal, dos objetos pessoais e do ambiente em que vivem. Por meio de palestras educativas, atividades pedagógicas e tratamento supervisionado em crianças com pediculose capilar, foi possível sensibilizar e orientar respeitando a cultura e os costumes da localidade.DINÂMICA E ESTRATÉGIAS DOS PROCEDIMENTOS USADOS: As ações ocorreram em sala de aula e no pátio das creches e escolas envolvendo a comunidade escolar e considerando que a família da criança seja o principal agente para essa prevenção. E o tratamento supervisionado foi realizado no banheiro das escolas, com uso de shampoo e pente-fino, sendo entregue também a família, para continuação do tratamento. A experiência contou com a parceria da secretaria de municipal de saúde e educação.INDICADORES/VARIÁVEIS/COLETA DE DADOS:O Projeto foi baseado nas queixas das escolas de educação infantil e creches, com vários casos de crianças com infestação de pediculose capilar.OBSERVAÇÕES/AVALIAÇÃO/MONITORAMENTOAntes do tratamento, foi realizado educação em saúde com os familiares e orientado o tratamento dos demais parentes com infestação, além da criança. Após a educação em saúde, foi realizado o tratamento e orientada a prevenção da reinfestação, através de hábitos de higiene física.

O projeto “caça ao piolho” foi desenvolvido nas creches e escolas da rede municipal da cidade de Atalaia-AL, pelo PSE e NUPS, atendendo crianças de 03 à 06 anos de idade e envolvendo toda a comunidade escolar. A pediculose capilar, ou piolho, é um problema frequente nas escolas da região, gerando diversos problemas, que afetam desde a saúde do couro cabeludo até a diminuição do rendimento escolar da criança na escola, e também a exclusão da criança por parte dos colegas. Para o enfrentamento deste problema, entendemos que a criança infectada precisa ser tratada para evitar a contaminação de outras pessoas e para seu próprio bem-estar, mas além disso, é necessário a sensibilização familiar e o tratamento dos membros da família, se necessário.O projeto tem por objetivo principal não apenas realizar o tratamento das crianças com pediculose capilar, mas também sensibilizar as crianças e familiares através da educação em saúde, quanto a importância da higiene corporal, dos objetos pessoais e do ambiente em que vivem. Por meio de palestras educativas, atividades pedagógicas e tratamento supervisionado em crianças com pediculose capilar, foi possível sensibilizar e orientar respeitando a cultura e os costumes da localidade.As ações ocorreram em sala de aula e no pátio das creches e escolas envolvendo a comunidade escolar e considerando que a família da criança seja o principal agente para essa prevenção. E o tratamento supervisionado foi realizado no banheiro das escolas, com uso de shampoo e pente-fino, sendo entregue também a família, para continuação do tratamento. A experiência contou com a parceria da secretaria de municipal de saúde e educação.

Repetir o projeto duas vezes ao ano, e estender para outras escolas de educação infantil.O problema de infestação por piolho deve ser tratado como problema de saúde e educação, pois assim pode-se alcançar resultados satisfatórios.

Principal

Lívia Thiane Albuquerque de Oliveira

atalaia@saude.al.gov.br

A prática foi aplicada em

Atalaia

Alagoas

Nordeste

Instituição

Travessa Onze de Junho, Centro, 274

Uma organização do tipo

Instituição pública

Foi cadastrada por

Lívia Thiane Albuquerque de Oliveira

Conta vinculada

A prática foi cadastrada em

07 nov 2016

e atualizada em

14 set 2023

Condição da prática

Concluída

Situação da Prática

Arquivos

Palavras-chave

nenhuma

Você pode se interessar também

Práticas
Ações intersetoriais: integrando estratégias no combate às arboviroses na cidade de Belém do Brejo da Cruz (PB)
Paraíba
Práticas
Re(h)abilitando a interdisciplinaridade e o cuidado na atenção primária à saúde
Paraíba
Práticas
A (in) visibilidade de quem está em situação de rua: caminhos possíveis para cuidado em saúde
Paraíba
Práticas
Do ambulatório LGBTQIAPNB+ ao Café com Diversidade: garantindo acesso e fortalecimento de vínculos
Paraíba
Práticas
Fato ou fake: utilizando a força da internet no combate a fake news sobre vacinação em Esperança – PB.
Paraíba
Práticas
Projeto saúde na feira: ampliando o acesso de serviços de saúde no município de Ingá.
Todos os Estados (Norte)
Práticas
Promoção da saúde mental dos trabalhadores da estratégia de saúde da família: cuidando do cuidador.
Paraíba