Olá,

Visitante

O protoganismo dos ACS na educação permanente em saúde bucal: desafios e reflexões

A representatividade na atenção primária dos Agentes Comunitários em Saúde (ACS) diante o fortalecimento do vínculo com a população, na cobertura da assistência e na resolubilidade das necessidades, garante de forma transformadora a construção do empoderamento desse profissional na atenção integral à saúde. O papel dos ACS na Saúde Bucal determina de forma considerável as relações com toda a comunidade, através do serviço de grande relevância, propiciando mudanças positivas nas formas do cuidado e no alinhamento do fluxo de atendimento na Atenção Primária, possibilitando o enriquecimento interdisciplinar. Nessa perspectiva, os desafios vinculados pelo distanciamento das relações com a equipe de saúde bucal no processo saúde-doença dificultam e tornam menos efetivas a realização de ações nos serviços de saúde bucal configurando na fragmentação do serviço.
A autonomia dos ACS na integração com a comunidade é um dos pilares fundamentais para o enriquecimento da Saúde Pública na Atenção Primária viabilizando a garantia do acesso aos serviços de forma singular e integral. Neste sentido, a partir das análises constatadas pela Coordenação de Saúde Bucal, com vista no aprimoramento desses profissionais nas principais situações de risco em saúde bucal vivenciadas na população foi realizado I Oficina de capacitação em Saúde Bucal, no Auditório da Secretaria Municipal de Saúde, no município de Ingá, no mês de Novembro de 2023 com todos os
Agentes Comunitários em Saúde (ACS).
Objetivo geral: Analisar o protagonismo dos Agentes Comunitários de Saúde (Acs) sobre as principais situações de risco em saúde bucal.
● Avaliar os conhecimentos dos ACS sobre as práticas e ações efetuadas em saúde bucal na população com vista a propagar informações em saúde na comunidade;
● Evidenciar os cenários da educação permanente na saúde bucal com vista ao aperfeiçoamento desses profissionais como protagonistas em saúde na viabilidade do processo saúde-doença;
● Identificar os principais problemas e situações na ambiência do processo de trabalho com vista a possibilitar práticas de cuidado e atenção integral ao indivíduo na saúde bucal;

Foi realizado uma análise devido as dificuldades que os ACS enfrentam em promover ação em saúde bucal no território.

Sabe-se que a informação do conhecimento em saúde é um dos principais pontos-chave para a população, uma vez que, aumentam as suas habilidades no monitoramento dos determinantes e condicionantes do processo saúde-doença na
territorialidade. A partir da experiência desta oficina foi possível identificar que os ACS desconheciam algumas temáticas de grande relevância para a saúde bucal e que a ausência de capacitações na área e a fragilidade na integração da equipes de saúde bucal com os ACS impactam consideravelmente no desempenho das ações estratégicas da saúde bucal na APS. Logo, a articulação ativa no processo de trabalho entre os ACS e os profissionais da saúde bucal garantem a melhoria na qualidade e integralidade da assistência, proporcionando o desenvolvimento de estratégias para o alcance de bons indicadores em saúde. Com uma cobertura efetiva da APS, fortalecendo o vínculo entre profissionais e comunidade na identificação dos principais riscos em saúde e nas fragilidades do conhecimento desses profissionais possibilitam com que esta integração promova ações específicas em saúde, com vista ao norteamento para este grupo,
garantindo uma melhoria no conhecimento técnico-científico bem como na desmistificação de conceitos popularmente concebidos.

Neste sentido, é primordial a pluralização e interdisciplinaridade entre os profissionais com vista ao fortalecimento da Saúde Bucal.

Principal

Adilson Avelino da Silva Filho

adilsoninga@hotmail.com

Coordenador de Saúde Bucal

Coautores

ADILSON AVELINO DA SILVA FILHO, SONIA OLIVEIRA SILVA, MAYARA SHANAZES DE OLIVEIRA BACALHAU, WYAMILLA SANDRIELLY DE OLIVEIRA PEREIRA, MONIKE GONÇALVES DO AMARAL, MATHEUS HARLLEN GONCALVES VERISSIMO, MARIA SUENIA MONTEIRO, CARLA FABYOLA CARDOSO DO AMARAL FIGUEIREDO

A prática foi aplicada em

Ingá

Paraíba

Nordeste

Esta prática está vinculada a

Avenida Francisco Farias Braga - Jardim Farias, Ingá - PB, Brasil

Uma organização do tipo

Instituição Pública

Foi cadastrada por

Adilson Avelino da Silva Filho

Conta vinculada

A prática foi cadastrada em

15 abr 2024

e atualizada em

15 abr 2024

Início da Execução

22/11/2023

Condição da prática

Concluída

Situação da Prática

Arquivos

Palavras-chave

Você pode se interessar também

Práticas
Experiência do Preventivo Humanizado no SUS
Maranhão
Práticas
Implantação do serviço de curativos na atenção básica do município de Arara: experiência exitosa
Paraíba
Práticas
Assistência odontológica aos trabalhadores da saúde municipal de Esperança: relato de experiência
Paraíba
Práticas
Caminhos do Cuidado, levando serviços de saúde para as comunidades rurais no município de Condado (PB)
Paraíba
Práticas
Gestar saudável – de 0 a 1000 dias
Paraíba
Práticas
Mapa territorial em saúde mental: instrumento exitoso do cuidado na atenção primária à saúde
Paraíba
Práticas
Implementação da estratégia Tenda da Imunização para aumento de coberturas vacinais
Todos os Estados (Nordeste), Paraíba