Olá,

Visitante

O Controle Social e a Saúde do Trabalhador: Seminário de Capacitação para o Fortalecimento das Ações na Macrorregião de Sobral

A Saúde do Trabalhador (ST) está definida na Constituição Federal de 1988, que assegura a execução das ações para a saúde do trabalhador como atribuição do Sistema Único de Saúde (SUS), e está regulamentada pela Lei 8080/90, a Lei Orgânica da Saúde. A participação Social em Saúde do trabalhador é uma conquista que passa a empreender esforços no sentido de pautar o trabalho e suas repercussões como um determinante social em saúde que necessita de politica publicas especificas que atuem no sentido da atenção a Saúde dos trabalhadores. O seminário foi proposto no intuito de fortalecer o desenvolvimento das ações de Saúde do Trabalhador no SUS, especialmente na Atenção Básica à Saúde, atual ordenadora do cuidado. Além disso, para avançar nos propósitos da Portaria 3252/2009, que reforça a necessidade de realizar análise permanente da situação de saúde da população, articulando-se ações que se destinam a controlar determinantes, riscos e danos à saúde de populações que vivem em determinados territórios, garantindo a integralidade da atenção (BRASIL, 2009). Objetivou-se neste trabalho debater sobre o controle social em Saúde do Trabalhador e as novas formas de participação social. A Escola de Saúde Pública do Ceará, através do Centro Regional de Referência em Saúde do Trabalhador – CEREST de Sobral realizou o Seminário para fortalecimento do Controle Social em suas ações em Saúde do Trabalhador para os 55 municípios da macrorregião de Sobral, no dia 02 de dezembro de 2011. Durante o seminário foram discutidos assuntos como: Impactos da crise global sobre a saúde do trabalhador e as formas de organização dos trabalhadores, Doenças relacionadas ao trabalho. Após as exposições dialogadas e os momentos de debates, os participantes foram divididos em quatro grupos para uma oficina de trabalho que objetivou a construção de planos de ação em Saúde do Trabalhador na Atenção Básica. Foram capacitados 59 (cinquenta e nove) membros de conselhos locais e municipais de saúde, sindicatos, profissionais da saúde, entre outras representações. No plano de ação contempla o planejamento, execução, avaliação e monitoramento das ações de ST pelo controle social. Para implementação das ações de Saúde do trabalhador torna-se necessário o envolvimento e a participação do controle social, através de metodologias participativas e integrativas para a efetivação dessas ações no SUS.a) Objetivos e metas: – Debater sobre o controle social em Saúde do Trabalhador e as novas formas de participação social

O controle social em Saúde do Trabalhador e as novas formas de participação social.

Principal

Rafaella Almeida Ribeiro Pereira

A prática foi aplicada em

Sobral

Ceará

Nordeste

Instituição

Endereço

Uma organização do tipo

Outra

Foi cadastrada por

Rafaella Almeida Ribeiro Pereira

Conta vinculada

ideiasus@gmail.com

A prática foi cadastrada em

04 dez 2015

e atualizada em

14 set 2023

Condição da prática

Concluída

Situação da Prática

Arquivos

Palavras-chave

nenhuma

Você pode se interessar também

Práticas
ADESÃO DAS GESTANTES AO PRÉ-NATAL ODONTOLÓGICO: UMA PROPOSTA DE INTERVENÇÃO NA ATENÇÃO PRIMÁRIA À SAÚDE
Paraíba
Práticas
A PRÁTICA DE PRIMEIROS SOCORROS NO CONTEXTO DE UM CURSO TÉCNICO PARA AGENTES COMUNITÁRIOS DE SAÚDE
Paraíba
Práticas
Programa Bolsa Família: processo formativo para profissionais da atenção primária
Paraíba
Práticas
Humanização na prática do cateterismo vesical de demora na atenção básica.
Paraíba
Práticas
Metodologias ativas no processo de atualização de profissionais de saúde: relato de experiência.
Paraíba
Práticas
Incluir e apreender: parceria entre saúde e educação no acompanhamento multidisciplinar
Paraíba
Práticas
V amostra Paraíba, aqui tem SUS
Paraíba
Práticas
Autonomia reprodutiva: empoderamento de mulheres em vulnerabilidade através da inserção do DIU
Paraíba