Olá,

Visitante

Integração das Ações de Combate ao Aedes Aegypti – olinda – Pe (2015 – 2016)

Através de mapas e boletins epidemiológicos, que identificam as áreas onde ocorreram mais casos, iniciou-se a realização de reuniões de discussão no Comitê de Combate ao Aedes para planejar ações, mutirões e palestras para combater focos e orientar a população. O Comitê é formado pela Secretaria de Desenvolvimento Social, Cidadania e Direitos Humanos (SEDESE), Secretaria de Segurança Urbana, Secretaria de Obras, Secretaria de Serviços Públicos, Secretaria de Educação, Exército e Faculdades.Dentre as ações realizadas estão identificação, através de câmeras doônibus da Guarda Municipal, de focos do mosquito em locais de difícil acesso, como telhados, calhas e casas fechadas. Nos mutirões são realizados recolhimentos de entulhos, carros abandonados, limpeza de canais e aplicação de UBV.Foi criada, em parceria com a Secretaria de Comunicação, uma plataforma web (www.olindacontraomosquito.com.br) onde os munícipes podem denunciar focos do Aedes, solicitar ações, gestante com exantema pode solicitar notificação e informações sobre as doenças.Ocorreu, em 2015, o surgimento de casos de bebês com microcefalia, possivelmente, causados pelo Zika vírus, na qual ocorre a má-formação no período gestacional, nascendo com um perímetro cefálico reduzido que causa atraso no desenvolvimento. Esses bebês ao nascerem são notificados com suspeita de microcefalia e passam por exames que confirmam ou descartam a má-formação. A SS encaminha para a Atenção Básica e Especializada do município os casos para serem acompanhados nas Unidades de Saúde. Todos os casos de microcefalia do município são monitorados e as mães orientadas na importância do cuidado e acompanhamento do bebê.Os casos de microcefalia são encaminhados para a SEDESE que identifica e solicita os benefícios que auxiliarão a família no cuidado ao bebê.

Em decorrência do surgimento de novas doenças causadas pelo Aedes e elevado número de casos de pessoas acometidas, fez-se necessário a integração de setores da Prefeitura nas ações de Prevenção, Controle e Monitoramento dos casos de doenças causadas pelo Aedes e microcefalia.Com o aumento do número de casos notificados de dengue, as ações para orientar a população na prevenção da doença foram intensificadas. Ocorreu ainda a inserção de dois novos vírus, transmitidos pelo Aedes, que ocasionaram o surgimento da febre da Chikungunya e Zika, no município.

No decorrer das atividades ocorreram dificuldades como não autorização da entrada do ACE na residência, casas fechadas sem moradores e áreas de acúmulo de lixo. Realizou-se, em parceria com a Secretaria de Assuntos Jurídicos, a entrada nessas localidades para limpeza do ambiente, aplicação dos larvicidas e orientações.As ações vêm sendo realizadas e evidenciam a importância de parcerias intersetoriais que auxiliem nas atividades, reduzindo gastos e abrangendo maior número de pessoas. É importante destacar que as atividades são realizadas diariamente favorecendo maior abrangência. Enfatiza-se que a população precisa colaborar cuidando da residência e buscando meios indicados para informar sobre casos e solicitar providências.

Principal

Camila Cavalcanti de Brito

camilation202@yahoo.com.br

A prática foi aplicada em

Olinda

Pernambuco

Nordeste

Instituição

R. do Sol, 311 – Carmo

Uma organização do tipo

Instituição pública

Foi cadastrada por

Camila Cavalcanti de Brito

Conta vinculada

emanoel.filho@fiocruz.br

03 out 2020

e atualizada em

14 set 2023

Seu Período de Execução foi de

até

Condição da prática

Concluída

Situação da Prática

Arquivos

Palavras-chave

nenhuma

Você pode se interessar também

Práticas
Laboratorio Vivo Fortalecendo Intersetorialidade na Prevenção das Arboviroses em Junco do Serido/Pb.
Paraíba
Práticas
Vigilancia em Saude e Saúde na Escola: uma Parceria de Sucesso no Municipio de Queimadas-Pb
Rio de Janeiro
Práticas
Implantação do Núcleo de Vigilância Epidemiológica e Laboratorial do Lacen-Pb: Um Relato de Experiência
Paraíba
Práticas
A Feira Livre de Esperança-Pb: Vigilância Sanitária e As Ações de Prevenção e Combate À Covid-19
Rio de Janeiro
Práticas
Ferramentas Tecnológicas Aplicadas no Núcleo de Vigilância Epidemiológica e Laboratorial do Lacen-Pb
Paraná
Práticas
Medidas Sanitárias Aplicada ao Controle Datransmissão da Leishmaniose Animal
Paraíba
Práticas
Fortalecimento e Ampliação da Rede Nacional de Vigilância Epidemiológica Hospitalar na Paraíba
Paraíba
Práticas
Covid 19 – Experiência de Enfrentamento das Arboviroses, Combatendo As Endemias Durante a Pandemia
Rio de Janeiro
Práticas
Novas Estratégias para o Monitoramento e a Fiscalização das Práticas de Segurança do Paciente pela Vigilância Sanitária nos Hospitais do Distrito Federal.
Distrito Federal
Práticas
Experiência de Integração Intersetorial no Controle ao Aedes Aegypti e Bloqueio da Doença Chikungunya no Município de Cunha Porã, Sc.
Santa Catarina