Olá,

Visitante

Estratégia Adotada em Iguaba Grande/Rj para o Monitoramento e Avaliação Participativa da Produção Informada no Sia/SUS

A partir de setembro de 2016, o Setor de Faturamento, criou um relatório que sistematiza, mensalmente, as informações referentes à produção informada e o faturamento no SIA/SUS. O relatório, organizado por unidade de saúde e serviços, aponta também as pendência de informações, se houve alterações efetuadas no CNES, o índice de aprovação da produção informada e as causas das glosas ocorridas. Após o fechamento da produção mensal, o relatório é encaminhado para os gestores (administrativos e técnicos) para que tomem ciência e providências para a correção das causas de glosa no faturamento. Por ocasião da elaboração do Relatório Detalhado do Quadrimestre Anterior – RDQA os gestores das unidades são convidados, pelo Setor de Planejamento, a discutir a evolução da produção no quadrimestre, com base na consolidação dos relatórios mensais do período. O produto da discussão é relatado no RQDA. Posteriormente, estas análises são revisitadas para a elaboração da avaliação das ações e metas estabelecidas na programação Anual de Saúde – PAS, para a elaboração do Relatório Anual de Gestão – RAG.

A estratégia foi adotada mediante a grande perda no faturamento da produção informada no SIA/SUS. Na ocasião a produção era entendida como uma atividade burocrática mecânica, sem conhecimento por parte dos gestores do seu impacto na transferência de recursos, na construção de indicadores, no monitoramento e avaliação das ações e serviços de saúde e no planejamento, o que gerava um fraco comprometimento com a qualidade dos dados informados.

A partir dos resultados obtidos recomenda-se, com segurança, a adoção da prática de relatórios de avaliação da produção para os gestores de unidades e serviços de saúde. Mas destaca-se que, apenas o encaminhamento sistemático do relatório poderá se constituir em grande gasto de energia e recursos, sem obtenção de resultados. O relatório deve ser visto como o instrumento de uma prática dialógica entre e os profissionais do setor de planejamento e gestores de unidades e serviços de saúde, num primeiro momento. Na prática de Iguaba Grande, o documento passou a ser utilizado também como instrumento para o controle, avaliação, planejamento estratégico das ações e serviços de saúde, bem como para o planejamento de compras de produtos e serviços, tornando-o um instrumento de uso comum para estas áreas da gestão, com grande potencialidade de integração intersetorial.

Principal

Guillerme Gandarillas Velarde

A prática foi aplicada em

Rio de Janeiro

Santa Catarina

Sul

Instituição

330187

Uma organização do tipo

Instituição pública

Foi cadastrada por

Conta vinculada

A prática foi cadastrada em

02 jun 2023

e atualizada em

14 set 2023

Condição da prática

Concluída

Situação da Prática

Arquivos

Palavras-chave

nenhuma

Você pode se interessar também

Práticas
Vigilância das Síndromes Febris Agudas
Práticas
A Redução da Mortalidade Infantil no Município de Guarujá-Sp
São Paulo
Práticas
Promovendo e Fazendo a Saúde do Homem no Território
Tocantins
Práticas
Elaboração Coletiva de Um Guia Prático de Diluição de Medicamento Intravenoso Adulto
Rio de Janeiro
Práticas
Experiências no Enfrentamento da Febre Amarela no Município de Valença em 2018, os Desafios Ante Principais Peculiaridades do Município, Problemas e Desafios da Gestão Local de Saúde
Rio de Janeiro
Práticas
“Implementação do Programa Seja Bem Vindo – Visita Aberta no Hospital de Pronto Socorro Canoas”
Rio Grande do Sul
Práticas
Ressignificação do processo de adolescer
Minas Gerais