Olá,

Visitante

Estratégia Adotada em Iguaba Grande/Rj para o Monitoramento e Avaliação Participativa da Produção Informada no Sia/SUS

A partir de setembro de 2016, o Setor de Faturamento, criou um relatório que sistematiza, mensalmente, as informações referentes à produção informada e o faturamento no SIA/SUS. O relatório, organizado por unidade de saúde e serviços, aponta também as pendência de informações, se houve alterações efetuadas no CNES, o índice de aprovação da produção informada e as causas das glosas ocorridas. Após o fechamento da produção mensal, o relatório é encaminhado para os gestores (administrativos e técnicos) para que tomem ciência e providências para a correção das causas de glosa no faturamento. Por ocasião da elaboração do Relatório Detalhado do Quadrimestre Anterior – RDQA os gestores das unidades são convidados, pelo Setor de Planejamento, a discutir a evolução da produção no quadrimestre, com base na consolidação dos relatórios mensais do período. O produto da discussão é relatado no RQDA. Posteriormente, estas análises são revisitadas para a elaboração da avaliação das ações e metas estabelecidas na programação Anual de Saúde – PAS, para a elaboração do Relatório Anual de Gestão – RAG.

A estratégia foi adotada mediante a grande perda no faturamento da produção informada no SIA/SUS. Na ocasião a produção era entendida como uma atividade burocrática mecânica, sem conhecimento por parte dos gestores do seu impacto na transferência de recursos, na construção de indicadores, no monitoramento e avaliação das ações e serviços de saúde e no planejamento, o que gerava um fraco comprometimento com a qualidade dos dados informados.

A partir dos resultados obtidos recomenda-se, com segurança, a adoção da prática de relatórios de avaliação da produção para os gestores de unidades e serviços de saúde. Mas destaca-se que, apenas o encaminhamento sistemático do relatório poderá se constituir em grande gasto de energia e recursos, sem obtenção de resultados. O relatório deve ser visto como o instrumento de uma prática dialógica entre e os profissionais do setor de planejamento e gestores de unidades e serviços de saúde, num primeiro momento. Na prática de Iguaba Grande, o documento passou a ser utilizado também como instrumento para o controle, avaliação, planejamento estratégico das ações e serviços de saúde, bem como para o planejamento de compras de produtos e serviços, tornando-o um instrumento de uso comum para estas áreas da gestão, com grande potencialidade de integração intersetorial.

Principal

Guillerme Gandarillas Velarde

A prática foi aplicada em

Rio de Janeiro

Santa Catarina

Sul

Instituição

330187

Uma organização do tipo

Instituição pública

Foi cadastrada por

Conta vinculada

A prática foi cadastrada em

02 jun 2023

e atualizada em

14 set 2023

Condição da prática

Concluída

Situação da Prática

Arquivos

Palavras-chave

nenhuma

Você pode se interessar também

Práticas
Atenção Odontológica na Primeira Infância: Meu Primeiro Dentista
Tocantins
Práticas
Informação em Saúde Preventiva nos Meios de Comunicação
Tocantins
Práticas
Projeto Vida: Humanizar É Preciso
Tocantins
Práticas
Qual Significado de Morar em um Srt e A Importância da Inclusão des tes Moradores com Transtornos Mentais no Mercado de Trabalho: Relato da Experiência Vivenciada em Orindiúva
São Paulo
Práticas
Risus – de Coadjuvante A Protagonista
São Paulo
Práticas
Contratualização na Ses-Df: Resultados da Implantação de Metas nas Regiões de Saúde da Secretaria de Saúde do Df
Distrito Federal
Práticas
Novas Estratégias para o Monitoramento e A Fiscalização das Práticas de Segurança do Paciente pela Vigilância Sanitária nos Hospitais do Distrito Federal
Distrito Federal
Práticas
Biblioterapia A Psicoterapia Através da Leitura e da Escrita Literária como Método Terapêutico para Usuários da Rede de Saúde
São Paulo