Olá,

Visitante

Cuidado de Enfermagem aos Portadores de Diabetes com “Pés Diabéticos” em Equipe de Estratégia Saúde da Família Relato de Experiência

Dentre as principais complicações do diabetes mellitus temos o pé diabético, que pode ser definido como uma infecção, ulceração e/ou destruição de tecidos moles associadas a alterações neurológicas e que acarretará ao comprometimento dos membros inferiores. o DM está associado ao aumento da mortalidade e ao alto risco de desenvolvimento de complicações micro e macrovasculares, bem como de neuropatias, e requer cuidado contínuo, educação permanente e suporte para prevenção de complicações agudas e redução do risco de complicações crônicas. (BRASIL, 2013). Através da abordagem do profissional de enfermagem diminui o avanço da doença, bem como diminui sua morbidade, e, portanto, seu papel é essencial para a prevenção do pé diabético e as amputações. Para analisar a experiência, utilizaremos o relato comparativo de casos, que foi realizado pelo enfermeiro da ESF CUNHA E SILVA/BNH no município de Presidente Médici (RO).

•Evitar futuras complicações aos portadores de diabetes, prevenindo a evolução das lesões. •Relatar as dificuldades enfrentadas ao longo do acompanhamento •Destacar a importância das medidas preventivas e da promoção à saúde •Descrever as ações do en Participaram da experiência 2 portadores de DM, portadores de pés diabéticos no período de 02/2018 a 12/2018. o 1º paciente D.S.B, 63 anos, apresentava ferida no pé esquerdo com tecido necrótico seco, hiperemiado, edemaciado e infeccioso. o 2º paciente o D.A.S, 72 anos, apresentava ferimento infeccioso, edemaciado e hiperemiado no calcâneo do pé direito. Os protocolos terapêuticos como o manual do pé diabético e os Cadernos de Atenção Básica nº 35 e 36 foram utilizados. o acompanhamento iniciou-se por meio de visitas domiciliares. o enfermeiro realizava aferição de P.A e monitoração da glicemia capilar, orientação sobre a higienização dos pés, troca de curativo, uso de medicamento, alimentação balanceada e a aplicação da pomada.

o 1º paciente D.S.B foi encaminhado ao médico vascular. Logo, o médico optou pela cirurgia de amputação dos dedos inferiores, 4º e 5º pododáctilos. o 1º paciente D.S.B não era colaborador, não seguia as orientações corretamente, não realizava o curativo da maneira correta, não cuidava da alimentação, a cuidadora relatou que era teimoso por esse motivo houve uma demora na cicatrização da ferida resultando o acompanhamento terapêutico em 11 meses. Já o 2º paciente o D.A.S, foi utilizado o mesmo protocolo de cuidado, não houve necessidade de encaminhamento ao médico vascular e amputação e o paciente era bastante colaborador, a ferida demorou 3 meses para total cicatrização.Portanto, quando o portador de DM com pé diabético recebe orientação e acompanhamento do enfermeiro durante o tratamento do pé diabético e o portador realiza o autocuidado de forma correta, evitará futuras complicações e/ou amputações. Portanto, é essencial a dedicação e responsabilidade do usuário e do enfermeiro realização de medidas preventivas. Além disso, pode-se concluir que quando o paciente é colaborador durante o tratamento, a cicatrização da ferida ocorre em menos tempo.

Principal

Cleodon Da Costa Carvalho

cleodondacostacarvalho@gmail.com

Coautores

Maria Cecília Simões Silva

A prática foi aplicada em

Presidente Médici

Rondônia

Norte

Instituição

Avenida Sete De Setembro Nº 683, Presidente Médici – Ro 76916-000

Uma organização do tipo

Instituição Privada

Foi cadastrada por

): Rubi Ferreira Da Costa

Conta vinculada

A prática foi cadastrada em

23 set 2023

e atualizada em

26 set 2023

Condição da prática

Concluída

Situação da Prática

Arquivos

Palavras-chave

nenhuma

Você pode se interessar também

Práticas
ADESÃO DAS GESTANTES AO PRÉ-NATAL ODONTOLÓGICO: UMA PROPOSTA DE INTERVENÇÃO NA ATENÇÃO PRIMÁRIA À SAÚDE
Paraíba
Práticas
A PRÁTICA DE PRIMEIROS SOCORROS NO CONTEXTO DE UM CURSO TÉCNICO PARA AGENTES COMUNITÁRIOS DE SAÚDE
Paraíba
Práticas
Programa Bolsa Família: processo formativo para profissionais da atenção primária
Paraíba
Práticas
Humanização na prática do cateterismo vesical de demora na atenção básica.
Paraíba
Práticas
Metodologias ativas no processo de atualização de profissionais de saúde: relato de experiência.
Paraíba
Práticas
Incluir e apreender: parceria entre saúde e educação no acompanhamento multidisciplinar
Paraíba
Práticas
V amostra Paraíba, aqui tem SUS
Paraíba
Práticas
Autonomia reprodutiva: empoderamento de mulheres em vulnerabilidade através da inserção do DIU
Paraíba