Olá,

Visitante

Câmara Técnica: Instrumento Renovador para Descentralização das ouvidorias na Região de Saúde de Itapipoca

Diante do cenário apresentado, e considerando-se a presença de gargalos que dificultam a melhoria contínua do SUS, a instalação de uma Câmara Técnica constitui-se em ferramenta administrativa através se objetiva a sensibilização dos gestores do SUS no tocante à adesão ao processo de implantação das ouvidorias na região, e assim fomentar a eliminação das anomalias contribuindo de forma incisiva para ampliação dos processos de participação social no SUS através das Ouvidorias.Objetivo Geral: Descentralizar e organizar as ouvidorias no âmbito regional como instrumento de controle social e gestão participativa.Objetivos específicos: consolidar a participação social na administração pública identificar oportunidades de melhoria ordenar os fluxos de trabalho estabelecer critérios mínimos para equipar sala de atendimento.Estratégias e ações: Em reunião de CIR solicitamos a indicação do técnico para atuação interativa para ampliação de ouvidorias. Dessa responsabilidade, orientou-se todas as ações na ampliação do entendimento da relevância do apoio para interagir diretamente com o gestor e o articulador regional para construção coletiva de possibilidades para implantação de ouvidorias nos municípios de Amontada, Itapipoca, Miraíma, Trairi, Tururu, Umirim e Uruburetama.

Câmara Técnica: Instrumento Renovador para Descentralização das Ouvidorias na Região de Saúde de Itapipoca Identificação do Problema: Apesar das potencialidades da Política Nacional de Gestão Estratégica e Participativa no SUS (PARTICIPASUS), a qual tem atribuições legais e específicas, está baseada no aprimoramento da gestão a qual inclui a Ouvidoria do SUS, percebe-se tais possibilidades ainda são subaproveitadas no desenvolvimento de práticas que ampliem o acesso dos usuários ao processo de avaliação das ações e serviços públicos de saúde. Deste montante, iniciou-se o processo de implantação da Ouvidoria do SUS em todos os municípios componentes da jurisdição da 6a Coordenadoria Regional de Saúde de Itapipoca, o qual se iniciou em 2009, o qual durante esse período forma identificados algumas anomalias as quais dificultaram esse processo de implementação, dentre as quais podemos citar: mudança de gestores, não prioridade para gestão, rotatividade de profissionais para assumirem o cargo, falta de espaço físico e equipamentos.

Principal

Karla Cecília Aguiar Barbosa

A prática foi aplicada em

Itapipoca

Ceará

Nordeste

Instituição

Endereço

Uma organização do tipo

Instituição pública

Foi cadastrada por

Karla Cecília Aguiar Barbosa

Conta vinculada

ideiasus@gmail.com

06 ago 2016

e atualizada em

14 set 2023

Seu Período de Execução foi de

até

Condição da prática

Concluída

Situação da Prática

Arquivos

Palavras-chave

nenhuma

Você pode se interessar também

Práticas
Oficina de Culinária Afeto e Sabor
Paraíba
Práticas
Aproximando a Comunidade com a Gestão da Atenção Primária em Saúde
Rio de Janeiro
Práticas
Gestão Estratégica e Participativa no SUS: Implantando Novas Instâncias Deliberativas no Município Paulo Jacinto – Al
Alagoas
Práticas
Visita Domiciliar ao Usuário do SUS com Demanda Judicial
Ceará
Práticas
Importância da Conferência Municipal de Saúde para o Fortalecimento da Participação da Comunidade na Defesa do SUS.
Paraíba
Práticas
Participação Popular na Estratégia Saúde da Família em Petrópolis-Rj
Rio de Janeiro
Práticas
Roda de Conversa com As Famílias: Cuidando de Quem Cuida
Rio de Janeiro
Práticas
Implantação de Colegiado Gestor nas Unidades de Saude da Família de Japeri-Rj
Rio de Janeiro
Práticas
Controle Social e Saúde do Trabalhador: a Experiência Regional do Conselho Gestor do Cerest- Pólo Duque de Caxias – Rj
Rio de Janeiro
Práticas
A Experiência do 1º Curso de Capacitação para Conselheiros de Saúde e Membros das Comissões Intersetoriais de Saúde do Trabalhador (Cists) Sobre a Temática da Saúde do Trabalhador do Cerest- Pólo Duqu
Rio de Janeiro