Olá,

Visitante

Arapiraca Garante a Primeira Infância – Agapi

FINALIDADE DA EXPERIÊNCIA:Capacitar os profissionais em Desenvolvimento da Primeira Infância (DPI), considerando a visão da Clínica Ampliada e Política nacional de Humanização, buscando facilitar o acesso aos serviços e programas voltados à Primeira Infância, assim proporcionando a integração entre as diferentes áreas relacionadas à Primeira Infância, objetivando fortalecer as competências familiares na utilização de estratégias voltadas ao desenvolvimento das potencialidades infantis desde a gestação.DINÂMICA E ESTRATÉGIAS DOS PROCEDIMENTOS USADOS:O Programa se estrutura a partir de três eixos de trabalho: Políticas Públicas articuladas

O Programa AGAPI – Arapiraca garante a Primeira Infância, foi lançado em 02 de agosto de 2013 pela prefeitura de Arapiraca e de efetiva através do desenvolvimento de ações em rede, articuladas de forma intra e intersetorial, das Secretarias de Planejamento, Saúde, Assistência Social, educação, Cultura, Políticas para as Mulheres e Conselhos dos Direitos da Criança e do Adolescente e Tutelar, voltadas para DPI – Desenvolvimento da Primeira Infância.As opções conjuntas são voltadas para o bem estar físico, mensal, afetivo, cognitivo e social da família e/ou com criança de até 6 anos, objetivando capacitar os profissionais envolvidos na assistência/cuidado à criança, desde a gestação até os 6 anos, e orientar as famílias sobre as necessidades do desenvolvimento infantil, visando o fortalecimento das famílias para ofertar as condições de se desenvolver em plenitude, se tornando um adulto independente e apto a exercer sua vida de forma digna.

Essa experiência poderá ser aplicada em qualquer município que visa o desenvolvimento do trabalho em rede intersetorial com vistas ao desenvolvimento da primeira Infância, pautado nos princípios da Clínica Ampliada e Humaniza SUS, contribuindo para a melhoria dos indicadores de saúde.O AGAPI tem sido muito bem recebido pelas Equipes dos Territórios.A metodologia é participativa e valoriza as práticas Humanizadas já exercidas pelos profissionais nas diversas áreas de atuação. Estimula-se a qualificação do Acolhimento, o apuramento da escuta e a identificação das queixas não referidas. As discussões partem do questionamento: “OO que é meu papel, minha responsabilidade, minha parte a ser cumprida?” nas diversas temáticas . . .O NASF, o CRAS e a Creche têm contribuído muito, enriquecendo as discussões. O trabalho articulado de forma intra e intersetorial é estimulado, o que fortalece a prática individual e em Equipe e consolida satisfação para todos os entes envolvidos.

Principal

Maria Gineide Gomes de Castro

A prática foi aplicada em

Arapiraca

Alagoas

Nordeste

Instituição

Rua Exp Brasileiro, 1850 Eldorado

Uma organização do tipo

Instituição pública

Foi cadastrada por

Maria Gineide Gomes de Castro

Conta vinculada

A prática foi cadastrada em

08 dez 2016

e atualizada em

14 set 2023

Condição da prática

Concluída

Situação da Prática

Arquivos

Palavras-chave

nenhuma

Você pode se interessar também

Práticas
Implantação de laserterapia na rede de atenção à saúde de Pilar (PB): relato de experiência
Paraíba
Práticas
Atenção e cuidado ao paciente portador de feridas no SUS em Pilar (PB)
Paraíba
Práticas
Oferta e Inserção do DIU pelo Enfermeiro na Atenção Primária a Saúde do Município de Assunção
Paraíba
Práticas
A prática da natação para crianças e adolescentes com deficiência em município do sertão paraibano
Paraíba
Práticas
Potencializando ações e atendimentos itinerantes nos bairros para melhoria e alcance de metas
Paraíba
Práticas
Implantação do cuidado farmacêutico na atenção básica, integrando farmácia a rede de atenção a saúde
Paraíba
Práticas
A eficácia do instrumento de classificação de risco gestacional na atenção primaria à saúde.
Paraíba