Olá,

Visitante

Ampliando a resolutividade da aps no atendimento à saúde mental: implantação do matriciamento

A crescente demanda por atendimento em saúde mental na Atenção Primária à Saúde (APS) do município de Santa Cruz/PB, com carência de profissionais especializados, considerando a alta demanda, e fragmentação no cuidado, impulsiona a necessidade de uma nova abordagem na atenção à saúde. O projeto “Ampliando a Resolutividade da APS no Atendimento à Saúde Mental: Implantação do Matriciamento” propõe a implementação do matriciamento em saúde mental como estratégia para fortalecer a APS no enfrentamento dessa problemática.
O projeto visa atender a população de Santa Cruz/PB que utiliza a APS e apresenta transtornos mentais. A partir da implantação do matriciamento, espera-se aperfeiçoar a identificação precoce, o tratamento adequado e o acompanhamento mais efetivo dos casos de saúde mental. O projeto teve início no mês de novembro de 2023 e tem previsão de término de sua implantação em julho de 2024.

OBJETIVOS
Objetivo Geral
Ampliar a resolutividade da Atenção Primária à Saúde no atendimento às pessoas com transtorno mental.
Objetivos específicos
• Mapear, através de busca ativa, os usuários com diagnóstico de transtorno mental;
• Capacitar e oferecer suporte técnico-pedagógico às equipes da atenção básica;
• Implantar a estratificação de risco em saúde mental na APS;
• Reduzir os encaminhamentos para os serviços de média e alta complexidade, aumentando assim resolutividade da APS.

A iniciativa se justifica pela crescente prevalência de transtornos mentais na população, pelas dificuldades no diagnóstico precoce e tratamento adequado, pela falta de integração entre os profissionais de saúde e pelo estigma associado aos transtornos mentais. O matriciamento surge como uma solução promissora, pois promove a integralidade e a efetividade das ações em saúde, permite a construção de redes de cuidado interdisciplinares e contribui para a redução do estigma.

A partir da busca ativa realizada pelos Agentes Comunitários de Saúde (ACS) aos usuários com diagnóstico de transtorno mental e que fazem uso de psicotrópico, foram encontrados os seguintes dados: observou-se que 482 pessoas de 5.947 habitantes têm algum transtorno mental diagnosticado, o que representa 8,1% da população do município. Vale ressaltar que 68,9% são do sexo feminino e 61,6% tem transtorno de ansiedade, sendo na sua maioria (58,3%) atendidas e assistidas pelo SUS e (40,2%), exclusivamente, com médicos das Equipes de Saúde da Família.
A partir desses dados e da necessidade de um acompanhamento mais detalhado pela APS, foi elaborado e inserido nas equipes um cartão de acompanhamento e dispensação de psicotrópicos. Os próximos passos do projeto constituem-se da capacitação dos profissionais da APS e a implantação da estratificação de risco em saúde mental no município.
Além dos resultados acima destacados, espera-se que ao final da implantação desse projeto, possamos alcançar a melhoria na identificação precoce de transtornos mentais; aumento da resolutividade da APS no atendimento à saúde mental; maior integração entre os profissionais de saúde; redução do estigma associado aos transtornos mentais e aumento da satisfação e bem-estar da população.

A iniciativa de implementar o matriciamento em saúde mental na atenção primária de Santa Cruz/PB surge como uma resposta promissora aos desafios do município no cuidado à saúde mental da população. Para garantir o sucesso da experiência, o engajamento dos profissionais, a capacitação contínua e a disponibilidade de recursos são cruciais. O monitoramento e avaliação constante da iniciativa também são essenciais para identificar pontos de melhoria e garantir a qualidade do atendimento prestado.
Acreditamos que a experiência de Santa Cruz/PB pode servir como modelo para outros municípios, contribuindo para a construção de um sistema de saúde mais integral e humanizado. Com isso recomenda-se ampliar a experiência para outros municípios da região; realizar estudos de impacto para avaliar a efetividade do matriciamento; investir na capacitação dos profissionais em saúde mental; fortalecer a integração entre a APS e os demais serviços de saúde mental e sensibilizar a comunidade sobre a importância da saúde mental.

Principal

Talita Juvêncio de Almeida

talita.juvencio@hotmail.com

Psicóloga

Coautores

Talita Juvêncio de Almeida Erick Bernard Pereira de Lima

A prática foi aplicada em

Santa Cruz

Paraíba

Nordeste

Esta prática está vinculada a

Av. Professor Nestor Antunes 165. Nossa Senhora de Fátima - Santa Cruz/PB

Uma organização do tipo

Instituição Pública

Foi cadastrada por

Talita Juvêncio de Almeida

Conta vinculada

A prática foi cadastrada em

09 abr 2024

e atualizada em

09 abr 2024

Início da Execução

01/11/2023

Condição da prática

Andamento

Situação da Prática

Arquivos

Palavras-chave

Você pode se interessar também

Práticas
Experiência do Preventivo Humanizado no SUS
Maranhão
Práticas
Implantação do serviço de curativos na atenção básica do município de Arara: experiência exitosa
Paraíba
Práticas
Assistência odontológica aos trabalhadores da saúde municipal de Esperança: relato de experiência
Paraíba
Práticas
Caminhos do Cuidado, levando serviços de saúde para as comunidades rurais no município de Condado (PB)
Paraíba
Práticas
Gestar saudável – de 0 a 1000 dias
Paraíba
Práticas
Mapa territorial em saúde mental: instrumento exitoso do cuidado na atenção primária à saúde
Paraíba
Práticas
Implementação da estratégia Tenda da Imunização para aumento de coberturas vacinais
Todos os Estados (Nordeste), Paraíba