Olá,

Visitante

Amandaba no Caeté: Círculos de Cultura no Autocuidado de Usuários com Diabetes Mellitus em uma Estratégia Saúde da Família

FINALIDADE DA EXPERIÊNCIA: Realizar com um grupo de usuários com diabetes uma abordagem educativa problematizadora baseada no círculo de cultura de Paulo Freire.DINÂMICA E ESTRATÉGIAS DOS PROCEDIMENTOS USADOS: Em agosto de 2016, usuários com diabetes mellitus, na faixa etária de 30 a 60 anos, de uma Estratégia Saúde da Família do município de Bragança-Pará, foram convidados a participar de atividades educativas por meio dos círculos de cultura. Os círculos se desenvolveram nas seguintes fases: levantamento temático realizado pela mediadora dos círculos

No município de Bragança, Pará, foi observado um crescimento das internações devido ao diabetes mellitus, no período de 2015 a 2016: de 95 para 125, respectivamente. Também cresceu a taxa de mortalidade nesse mesmo período, chegando a 3,16% em 2015 e 4,80% em 2016. Os dados podem ser reflexos de um mau manejo do diabetes, que pode ocorrer tanto por parte dos profissionais de saúde quanto pelo próprio usuário que convive com a doença. Entendemos que a prática de educação em saúde desenvolvida pelas equipes de saúde da Atenção Primária contribui para o bom controle do diabetes, para a mudança de estilo de vida e para o autocuidado dos usuários. Mas para isso, a educação em saúde não deve ser verticalizada, centrada no profissional e na doença. A educação em saúde para pessoas com diabetes deve valorizar o paciente e sua experiência de vida, focar os aspectos socioculturais e não só a dimensão biológica da doença, incentivando o diálogo, a escuta ativa e reflexões dos usuários sobre o manejo da glicemia e o autocuidado.

Realizar os círculos de cultura na Estratégia Saúde da Família possibilitou o diálogo, a escuta e a interação entre os usuários, contribuindo para que fossem sujeitos ativos nos debates, onde refletiram criticamente sobre os temas geradores e sobre o autocuidado com o diabetes. Portanto, a metodologia educativa problematizadora contribui para o empoderamento e autonomia dos usuários dentro do processo saúde-doença-cuidado. Ressalta-se que essa abordagem educativa está sendo realizada pela enfermeira em mais sete Estratégias Saúde da Família do munícipio de Bragança, tendo como participantes além dos usuários com diabetes, os agentes comunitários de saúde dessas unidades, o que vem reforçando a importância de uma relação mais humanizada e horizontal entre usuários e profissionais da saúde.

Principal

Suelen Trindade Correa, Maria do Socorro Castelo Branco de Oliveira Bastos

suenf2007@yahoo.com.br

A prática foi aplicada em

Bragança

Pará

Norte

Instituição

Alameda Treze de Maio

Uma organização do tipo

Instituição pública

Foi cadastrada por

Suelen Trindade Correa, Maria do Socorro Castelo Branco de Oliveira Bastos

Conta vinculada

A prática foi cadastrada em

02 jun 2023

e atualizada em

14 set 2023

Condição da prática

Concluída

Situação da Prática

Arquivos

Palavras-chave

nenhuma

Você pode se interessar também

Práticas
Promoção de Saúde dos Caminhoneiros e Caminhoneiras no Ponto de Parada e Descanso do Município do Rio de Janeiro
Rio de Janeiro
Práticas
Projeto Peso Saudável
Tocantins
Práticas
Formação em Diabetes para Profissionais da Educação de Blumenau/Sc
Rio Grande do Sul
Práticas
Oficina com Mulheres: Desenvolvimento de Ações de Cuidado Voltados ao Hiv/ Aids
Rio Grande do Sul
Práticas
Benefícios da Implementação de Assistência Médica 24 Horas em uma Cidade do Interior Paraibano
Paraíba
Práticas
Projeto Resgatando Sorrisos
Paraíba
Práticas
Acolhimento Como Ferramenta de Escuta e Mobilização no Grupo de Mães do Tea no Município de Sumé
Paraíba
Práticas
Programa de Atendimento Fisioterapêutico Domiciliar em Pacientes Crônicos Restrito ao Leito em Locais de Difícil Acesso
Rio de Janeiro
Práticas
Agenda Jovem Aprendiz
Minas Gerais
Práticas
Hiperdia em Ação nas Comunidades: Estratégias para Melhorar a Qualidade de Vida dos Cidadãos Coqueirenses.